Coronavírus / Covid-19

Quarentena continua na cidade de São Paulo em junho, mas recebe planos de reabertura dos setores

28.05.2020 | Por: Redação
Viaduto Santa Ifigênia durante a quarentena.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou em coletiva de imprensa qual a situação da capital após a flexibilização da quarentena pelo governo do estado ontem (27). A partir do dia 1º de julho, a prefeitura começa a receber os planos de retomada dos setores que podem reabrir na fase 2: concessionárias, setor imobiliário, escritórios, comércio de rua e shoppings, mesmo que atualmente a taxa de ocupação dos hospitais na cidade seja de 92% da lotação.

Conforme anunciado ontem (27) pelo governador João Doria, a cidade de São Paulo se encontra na fase 2 e permite a abertura parcial do comércio como shopping centers, concessionárias, serviços imobiliários e de escritórios. Mesmo que a região da Grande São Paulo, que envolve todas as cidades da região metropolitana como Osasco, Guarulhos e grande ABCD, esteja na fase 1, a mais crítica com somente o comércio essencial aberto, somente São Paulo segue a reabertura de parte do comércio. A medida gerou polêmica por colocar a cidade de São Paulo com uma classificação diferente das demais regiões, o que pode gerar um fluxo de trabalhadores dessas regiões para a capital.

Desde 5 de maio, os leitos na capital ficaram com a média de 92% de lotação, muito próximo ao limite. Neste período foram inaugurados hospitais de campanha e novos leitos para comportar mais pessoas em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). O prefeito também anunciou hoje três novos hospitais, somando 340 novos leitos sendo 100 de UTI. São os hospitais: Guarapiranga, Brigadeiro e Sorocabana.

Até domingo serão incluídos mais 300 respiradores na rede de saúde pública da cidade e também a distribuição de 3 milhões de máscaras para a população em junho. Outra medida será a execução de 115 mil testes rápidos para mapear melhor quem possui a doença na capital. Esses testes serão feitos nos 96 distritos da capital.

O prefeito anunciou que a quarentena continua em São Paulo, que é preciso usar máscaras, reforçar a higiene e os setores que podem retomar as atividades precisam apresentar planos dessa reabertura para a prefeitura. Escolas e creches não vão reabrir neste momento.

Covas reforçou que a quarentena não vai ser descartada a partir de 1º de junho, que apenas vão abrir para que setores enviem os planos de retomada, que serão avaliados e fiscalizados pela vigilância sanitária.

PUBLICIDADE Flowers

Veja também

PUBLICIDADE Flowers
ARTE E CULTURA MÚSICA MODA EDUCAÇÃO ESPORTE EVENTOS EMPREENDA ENTRETENIMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR TECNOLOGIA