Grande São Paulo avança para fase amarela: novas medidas devem valer a partir de 3 de julho

Autor: Redação

Fotos por: Rovena Rosa // Agência Brasil

Coronavírus / Covid-19 | 29/06/2020 10:30:19

O Governo do Estado de São Paulo anunciou em coletiva de imprensa na última sexta-feira (26) o avanço da cidade de São Paulo para a fase amarela. Segundo o plano do governo, nesta fase é permitido a abertura de limitada a 40% da capacidade de salões de beleza e barbearias, bares e restaurantes. Estende-se também o horário de 4h para 6h de funcionamento para escritórios e comércios. Prefeito de São Paulo informou que aguardará esta semana para que medidas possam ser implantadas na capital a partir do dia 3 de julho, sexta-feira.

Para o avanço de qualquer município para uma nova fase do Plano São Paulo é preciso que não ocorram novos casos da doença e que tenham vagas nas UTI. Segundo os números apresentados pelo governo estadual, as internações na UTI diminuíram e há cada vez mais leitos livres, enquanto o de novos casos está estável, o que permite esse avanço. Essa era a expectativa do governo com a reabertura de escritórios e parte do comércio.

Mesmo com o avanço da capital e outros municípios para a fase amarela, o governador reforçou que a quarentena em São Paulo se estende novamente até 14 de julho com a recomendação de continuar em casa. A covid-19 ainda não tem cura e o melhor remédio ainda é o distanciamento social.

“O sexto período da quarentena começa no dia 29 de junho e vai até 14 de julho. Estamos completando 100 dias de quarentena em 1º de julho. E o novo mapa do Plano São Paulo continua sendo uma ferramenta técnica muito importante para planejamento e execução de todo o combate à pandemia no estado”, disse o governador João Doria. “O Plano SP completa 30 dias na próxima terça (30) e vem seguindo seu curso com sucesso e credibilidade”.

Mesmo com o governo do estado permitindo o avanço da capital, houve uma recomendação para que aguardasse mais uma semana antes da aplicação das novas medidas. Uma das justificativas é que a doença tem um ciclo de 10-14 dias para apresentar os sintomas, e com isso o estado poderia confirmar se a abertura do comércio no começo do mês está controlado e se os números são reais. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, presente no anúncio aceitou o pedido.

“O município vai acatar essa solicitação do Centro de Contingência. Vamos, durante a semana que entra, conversar e dialogar com os setores que agora podem voltar a funcionar na fase três, avançar e, se tudo der certo, assinar os protocolos, para que eles possam aguardar o resultado na sexta-feira (3) da semana que vem. Se o resultado confirmar o município na fase amarela, eles poderão reabrir a partir 6 de julho”, reforçou o prefeito.

Por enquanto, nada muda na capital de São Paulo. Durante a semana governo do estado e prefeitura devem anunciar novas medidas para a capital.

Para saber mais do último relatório do governo, acesse por esse link.

O quê você
procura?