O passado e o futuro do MC Lan

Matérias 3 semanas atrás

Foto por: Jeferson Delgado // Portal KondZilla

Na última segunda-feira (6/5), MC Lan oficializou a nova fase de sua carreira como um artista da KondZilla Records. Antes desse grande passo de sua trajetória, Lan e a KondZilla já estavam unidos nessa caminhada, com o trabalho “Grave Faz Bum“, com MC WM, “Julieta“, “Rabetão“, o hino que fez com que ele se destacasse no funk (e esse foi só o começo). Depois dessa veio “Sua Amiga Eu Vou Pegar“, “Rabão Que Sobe e Desce“, e muito mais. Lan foi anunciado como parte da equipe em um evento especial na MTV Brasil, e lá aproveitou para trocar uma ideia com o Portal KondZilla.

Aos 25 anos de idade, Caio Alexandre Cruz, mais conhecido como MC Lan, já estava dando umas dicas do que vinha por aí. Em suas redes sociais, ele mostrou uma prévia de uma de suas novas músicas, que é mais romântica e mostra um Lan como você nunca viu. “Muita gente deve tá odiando e se perguntando o que aconteceu que do nada ele era o Catra e agora virou o Padre Marcelo Rossi”, brinca ele. “To tentando ir mais longe. Se fizer coisas diferentes, tipo, até mesmo parar de falar palavrão porque eu tenho muito fã criança e às vezes eu fico com vergonha de falar com eles porque isso não é legal. Essa é a hora de passar algo maior, independente de virar hit ou não”.

É claro que esse passo não é uma coisa totalmente fácil. “Acho que toda música que for boa estoura porque o público sabe o que ele quer ouvir. Não sei o que vai dar. Tô com medo, às vezes me dá dor de barriga e tudo, mas é isso”.

“Imagina o Kanye West lá na época do “My Beautiful Dark Twisted Fantasy” (2010), aí chega o Kendrick Lamar e fala pra ele ouvir Johnny Cash. Esse é o novo Lan”, explica ele sobre suas inspirações para esse novo momento.

Ainda numa pegada Kanye West, e essa influência também do rap, MC Lan se aventurou no rap e lançou músicas como “5 Minutos de Merda“, com o Djonga, “Nunca foi Sorte“, “Rap Game“, com Matue, Xamã e Costa Gold, “Mais Um Desabafo“, e por aí vai.

E por falar em Johnny Cash, as tatuagens do Lan não escondem o gosto dele por rock. Em algumas entrevistas, inclusive, ele contou que o Lan foi criado com base em alguns filmes de terror como os de Brian de Palma e alguns do Tarantino, e que se influencia muito por pessoas como Chuck Berry, Bob Dylan e por aí vai. Questionado o que ele acha da cara de surpresa da galera quando ele fala isso, ele responde: “Acho legal e ruim ao mesmo tempo. Falar sobre as coisas que eu curto quebra um pouco do personagem que eu criei dentro das minhas limitações porque muita gente gosta mim porque me acha legal por eu falar errado”, comenta ele. “Mas acho que o mais daora disso passar esse ensinamento. Uma galera dessa nova geração conhece o Chuck Berry, a Aretha Franklin, e até mesmo o Elvis que é muito grande, mas tem muitos que ainda não conhecem, por minha causa. Essa é a minha maneira de mostrar um pouco dos meus gosto e passar as coisas que eu acho importante”.

E nem só de rock [e funk] vive o homem. Com todas essas junções, Caio explica o que é o Lan. “Tenho a impressão que o MC Lan é um mundo que eu inventei, mas que tem dentro de mim. Todos nós temos um Lan dentro de nós, a doméstica tem, o boxeador, o jogador de futebol. O Lan é uma loucura que extravasa mais que o limite permitido”, diz.

Se já nos acostumamos com toda essa loucura divertida que é o MC, agora precisamos esperar pra ver o que mais vem por aí e o que o artista vai aprontar. Coisa boa a gente já sabe que vai ser.

Acompanhe o MC Lan pelas redes sociais: Facebook // Instagram

Leia também:
Conheça os bastidores da gravação do clipe “Rabetão” do MC Lan
“Eu levo, e sempre levarei a periferia comigo”, diz MC Lan, o cara das quebradas

Tags: kondzilla /mc lan /

Comentários