"Faltava uma música para empoderar as mulheres", diz Mila sobre "Tudo OK"

Autor: Karolyn Andrade

Fotos por: Felipe Max e Karolyn Andrade // Portal Kondzilla

Bregafunk | 30/01/2020 10:00:38

“Cabelo ok, marquinha ok, sobrancelha ok, unha ta ok…” é impossível você não reconhecer essa frase. A música “Tudo Ok” é um grande hit e o videoclipe, que conta com mais de 49 milhões de visualizações, é uma aposta para o carnaval. Se você conhece esse brega funk que juntou JS o Mão de Ouro, Thiaguinho MT e a Mila, encosta no Portal KondZilla que a gente bateu papo com a mulher que chegou para empoderar ainda mais as mulheres.

Camila Braga tem 31 anos, nasceu em Santos e veio para a capital paulista atrás do seu sonho, é conhecida pelo nome artístico Mila e compõe o time de artistas da KondZilla Records. Talvez você não saiba é que a cantora já tem uma longa estrada no meio musical. Cantando desde pequena, ela já participou de algumas bandas e por muito tempo fez parte da dupla sertaneja Haniel & Camila chegando até por programas de talentos na televisão. Mila conta que sempre foi ligada à artes: “Fiz teatro, música, dança, então sempre soube que era isso que eu queria”.

Durante seu período na dupla, a música “Gelo na Balada” estourou em todo o Brasil com a participação de dois grandes nomes sertanejos: Fernando e Sorocaba. A mudança para o funk não foi uma surpresa para os fãs da dupla, já que em seus shows tinha um momento especial para o ritmo. “Eu o Haniel sempre tivemos uma sintonia muito boa, mas chegou o momento que em ambos queriam seguir seu próprio caminho e viver o seu sonho da sua maneira”, conta Mila sobre o fim da dupla.

“Foi então que surgiu a oportunidade de gravar com a Taína Costa e Jojo Todynho em que a música de um dia para o outro bateu um milhão. Foi uma mistura, eu gosto muito delas. No meu show a gente sempre fazia uma parte de funk e todos iam a loucura”, comenta sobre seu primeiro trabalho com funk.

Assim como Thiaguinho nos contou sobre “Tudo Ok”, Mila também contou como o convite foi especial pra ela. “Eu ia produzir um som diferente com o JS e o Thiaguinho falou ‘bora participar a gente te considera uma mulher forte’. Quando escutei a música achei incrível”, relembra a cantora. “Estava faltando um som assim no brega funk que defenda e levante as mulheres”.

O sucesso de “Tudo Ok” é algo estrondoso o clipe tá batendo quase 50 milhões de visualizações. Quando fizemos a entrevista, tinha somente 30 milhões: “30 milhões foi um número inesperado, a gente sempre acredita no trabalho porque fazemos com carinho e amor, esperando o melhor sempre, mas surpreendeu as nossas expectativas. Eu sou só gratidão”, conta a funkeira.

Amante da música brasileira, ela sonha em gravar com a Ivete Sangalo. Mila também é compositora e gosta de escrever sobre tudo que se identifica: “Eu procuro me identificar de alguma forma, às vezes é uma história parecida comigo ou conheço alguém que viveu isso. Busco sempre passar algo positivo”.


Foto por: Karolyn Andrade

A funkeira se define como alegre e usa as redes sociais para se aproximar mais do seu público para ajudá-las de alguma forma. “Quero fazer as pessoas acreditarem nelas, que sejam quem elas querem ser, apesar de vivermos em uma sociedade onde tudo é criticado, é ruim”.

O brega funk só veio para ressaltar que o Nordeste está presente nos ritmos mais escutados em todo o país. Mais do que um gênero musical, o som passa a vivência e resistência dos artistas da região. “Eu acredito demais no brega funk, tenho sido aceita com muito carinho, quero levar o estilo para mais longe. É um ritmo contagiante e que a gente pode levar uma mensagem, igual fizemos em “Tudo Ok”‘, conta Mila.

O empoderamento na música é um dos maiores destaques, faz com que a mulher se sinta ainda mais forte. “Me identifiquei muito com a letra, tinha passado recentemente por uma situação delicada, embora a letra não tinha nada haver com o que aconteceu”, confessa Camila.” A música serviu para fazer com que as mulheres que elas são maravilhosas de suas maneiras e que elas podem se arrumar para se sentirem bonitas independente se vão brotar no bailão ou não”.

A sofrência é sempre inevitável, mas vamos combinar não dá para ficar para baixo toda hora então bora seguir o conselho da Mila e dar a volta por cima ouvindo “Tudo Ok”.

Acompanhe a cantora no Instagram para saber os próximos passos.

Leia mais:

Produtor musical de Tudo ok; e Hit Contagiante, JS o Mão de Ouro comemora o crescimento do ritmo
Tudo Ok mostra que as redes sociais estão de mãos dadas com os hits do momento

Thiaguinho MT e a história de Tudo Ok um dos possíveis hits do Carnaval

 

O quê você
procura?