Entrevista

Cria de BH, Paige começou no canto erudito e hoje é a promessa da nova geração de mulheres do hip hop

23.09.2021 | Por: Rayane Moura

Falar de amor em meio ao caos e trazer a música popular brasileira com trechos de R&B dos anos 90, não é para qualquer um. É isso que Paige faz! Cria de BH, a artista é um dos expoentes da nova geração de mulheres da cena hip hop da capital mineira. Cola no Portal KondZilla e pega a visão para conhecer um pouco mais sobre essa mina, que é braba nos sons. 

Ana Bárbara Andrade Paixão, ou simplesmente Paige, de 23 anos, é cria do bairro Califórnia, na região noroeste de BH. Com uma voz marcante e sempre com um sorriso envolvente, a cantora e compositora é conhecida por fazer música popular brasileira com trechos de R&B dos anos 90 e por sua presença de palco incrível. 

O que muitos não sabem é que Paige iniciou a carreira musical no canto erudito. “Eu canto desde muito cedo, eu lembro que a primeira vez que eu me apresentei eu tinha 8 anos. Meu pai tocava violão, e ele tocou uma música e eu cantei para minha irmã no aniversário de 15 anos dela, foi um momento lá que eles fizeram. Depois disso, comecei”, explica. 

“Eu gosto muito de escutar música, sou viciada em escutar música no fone ouvido desde muito novinha mesmo. Quando eu tinha uns 11 anos, eu falei: ‘Eu quero ser cantora, é o meu sonho’, então eu fui para o coral. Eu tinha uns 11/12 anos, foi na época da escola né. Foi aí meu início mesmo, tipo assim, onde eu já tinha decidido que seria cantora”, conta ela como foi o começo de tudo. 

Desde então, Paige nunca mais parou com a música ou pensou em fazer outra coisa da vida. Ela foi solista, formou bandas e já escrevia suas rimas bem cedo. Participou de duelos de MC’s embaixo do Viaduto Santa Tereza em Belo Horizonte. 

E quando que Ana Bárbara, se transformou em Paige? Ela explica: “Cara, eu acho que faz parte da minha história, de um momento marcante da minha vida. Eu já sabia que queria ser cantora assim, sabe? Eu tinha uns 13 anos, foi minha primeira banda assim, aí o outro vocalista da banda ele tinha um vulgo né, um outro nome, e ele super me influenciou assim. Então eu fui aos 13 anos, em busca do nome e encontrei Paige, e caiu certinho.”

Créditos: Natalia Menin

Ex-integrante da Banda Enversos, Paige começou a chamar a atenção depois de gravar com Djonga a música “Corra”, que está no aclamado disco do rapper mineiro, “O Menino Que Queria Ser Deus”. Além disso, a cantora lançou o seu primeiro EP no ano passado intitulado “Babygirl” que conta com cinco faixas. Atualmente ela  integra o grupo feminino de hip hop Fenda, ao lado de Laura Sette, Mayí, Iza Sabino e DJ Kingdom.

Sobre suas principais inspirações, Paige tem como principal as divas POPs e mulheres próximas a ela. “Então eu tenho várias inspirações assim, tenho buscado me inspirar sempre em pessoas que não sejam às vezes celebridades assim. Eu sempre tive muito o foco para esse lado assim dá coisa, desde mais nova, acho que por consumir muita cultura POP norte americana, mas Beyoncé, Rihanna, essas mulheres são minhas inspirações sabe. A Lizzo, tem sido muito assim para mim, eu penso muito nela, a Gloria Groove é uma cantora, uma inspiração para mim assim, uma figura muito importante com a música mesmo sabe. Acho que as meninas da fenda, elas me inspiram cada uma por si só sabe”, completa. 

E quando se trata de feat dos sonhos, ela não pensa nada baixo. “Cara eu tenho vários! Nossa aqui na minha cabeça não consegui passar nenhum, mas veio um primeiro, tipo assim, não sei…dos sonhos pode ser qualquer um né? Mano, é muita gente, sei lá, um feat dos sonhos o Rema, o J Balvin, a Gloria Groove, gente é sonho, fala sério? Essas três pessoas para mim é tipo assim tudo! E sei lá, Ariana Grande, Justin Bieber, a Demi Lovato, eu gosto muito dela”, explica. 

Falando em feat, recentemente Paige soltou o EP intitulado de “Imagina a Gente”, que chega com 4 faixas e cheio das participações mais que especiais: Chris MC, Zulu IMG, Iza Sabino e Pejota. O segundo EP da mineira chega por meio do selo MacacoLab, braço da produtora A Macaco – responsável pelo Festival Sarará e pela gestão de carreira do grupo Lagum

Créditos: Natalia Menin

Com participações especiais de artistas pretos da cena do hip hop belo-horizontino, o EP prova a potência de Paige para traduzir suas referências de sonoridades mais urbanas em um universo pop. “Imagina A Gente tem essa vibe de heartbreak em duas faixas do EP e as outras duas são mais amorzinho gostoso”, disse a cantora sobre a divisão do trabalho, pensada para refletir as diferentes nuances que podem atravessar os afetos. 

No trabalho, Paige utiliza a voz para embalar canções com forte referência do R&B. Cada faixa do novo trabalho vem acompanhada de uma produção audiovisual, disponível no canal de Paige no YouTube. Os relacionamentos amorosos em suas diferentes configurações foram as principais inspirações para Paige no EP “Imagina a Gente”. 

“Eu nunca tinha falado de amor nas minhas outras músicas, não dessa forma, na maioria delas pelo menos. Eu tinha uma música, que já estava guardada há muito tempo, que é ‘Imagina Gente’, e ela estava tipo enterrada tem seis anos a música. Aí eu fiz uma outra música, e na minha cabeça veio o Pejota. Então eu pensei: ‘nossa cara, porque eu não pego essa minha outra música que tenho há muito tempo e faço um epzinho só de feats?’ e eu comecei a trabalhar nisso, chamei as pessoas que eu gosto, faz um tempo que eu queria fazer isso”, complementa.

“Basicamente foi bem proposital mesmo falar sobre amor assim sabe, abordar vários tipos de possíveis relacionamentos, sabe? Vários tipo de relacionamentos afetivos, às vezes você tem com o melhor amigo que você gosta, ou às vezes com uma pessoa que você conhece há muito tempo, ou um amor que foi frustrado e pode ter sido bom e no final ele foi tóxico, enfim, é preciso abordar vários ângulos e perspectivas propositalmente, dentro de um feeling óbvio, mas todos foram proposital assim falar de amor mesmo, trazer vários tipos de relacionamentos, jeitos como se relacionar com o parceiro né, como uma outra pessoa assim, e aí é isso”, completa a cantora. 

“Imagina a Gente”, música que dá o nome ao EP, foi escrita por Paige quando ela ainda estava no segundo ano do ensino médio. “Essa foi muito vivida assim, realmente é o meu sentimento, é tudo verdade, eu fiz umas readaptações para ficar bem 2021 assim também sabe, mas foi uma música que eu escrevi literalmente com todo sentimento, eu debrucei assim no caderno na época, foi tudo que eu senti, foi uma música que me ajudou na época a entender os meus sentimentos e tals, real o que eu tava vivendo”, conta. 

“E depois foi um pouco frustrante, que ela é um pouco triste até, ela tem um acorde triste, um pouco denso, aquele momento da primeira desilusão amorosa sabe, aí deu uma enterradinha nela até hoje, eu namoro há 5 anos, então tipo assim, cara eu to vivendo um momento tão incrível no meu relacionamento e eu quero poder falar de amor, e aí surgiu isso”, completa Paige. 

Ela também explica sobre as outras canções do EP. “As outras músicas todas são gravações que eu me coloco ali para tentar tirar algo dele, sabe? Então, assim a música da Iza é uma música que me lembra muito a celebração, e ela é uma das minhas melhores amigas. Então quanto eu to com ela, é um amor de amizade sabe, da gente estourar um champanhe, da gente estourar fogos de artifício para celebrar as nossas conquistas e as nossas amizades assim, então todas ali tem um pouco de mim, mas nem todas eu vivi”. 

Lembrando que o Portal KondZilla já bateu um papo com a Iza Sabino, para saber um pouco mais sobre ela, basta acessar aqui!

Com “Imagina A Gente”, Paige prova mais uma vez sua habilidade para construir pontes entre diferentes ambientes sonoros ao dar tons mais melódicos às influências da cultura hip hop, que ganham rumos amplos a partir da linguagem pop da artista. Dessa forma, a cantora mostra o porquê de ser um dos nomes mais marcantes da nova cena belo-horizontina, seja ao lado da Fenda ou em carreira-solo.

E acha que acabou aqui? Claro que não. Recentemente Paige e as meninas da Fenda apresentaram seus lançamentos no Experimenta, no canal BIS. Dentre outros assuntos, as cantoras Iza Sabino, Paige, Laura Sette, Mayí e a DJ Kingdom conversam com Guilherme Guedes sobre o protagonismo feminino e referências musicais.

Além disso, em um papo com o Portal KondZilla, Paige adiantou um pequeno spoiler do que estar por vir. “Tem uma coisa MUITO foda que eu to trabalhando a minha carreira, que eu acho que vai ser um momento muito top na minha carreira, mas pra ano que vem, não para agora. E vem muita música, tipo assim agora vai vim um tornado de música. Vai vim muita música boa, muita coisa sincera, muita coisa diferenciada sabe. Coisa da Fenda vem, coisa das meninas também, e vem coisa minha mas para o ano que vem. São coisas que a gente tá começando a desenvolver”, explica. 

Falando em Fenda, as meninas também se preparam para o lançamento do single “Tenta”, que chega nesta quinta (23), às 20h00 no canal oficial do Youtube. Enquanto isso, tem um teaser exclusivo rolando para quem fizer o pré-save neste link. 

E aí, gostou de conhecer um pouco sobre a Paige? O que será que vem aí? Já estamos mais do que preparados para essa novidade. Não deixem de ficar ligados aqui mesmo no Portal KondZilla, qualquer novidades traremos pra vocês em primeira mão.

Além disso, não deixe de acompanhar a Iza nas redes sociais, no Instagram e Twitter para ficar por dentro de tudo sobre a artistas.

PUBLICIDADE Flowers

Veja também

PUBLICIDADE Flowers
ARTE E CULTURA MÚSICA MODA EDUCAÇÃO ESPORTE EVENTOS EMPREENDA ENTRETENIMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR TECNOLOGIA