HERvolution

TBT do Funk: as minas das antigas que fizeram história

15.07.2021 | Por: Gabriela Ferreira

Quintou daquele jeitão e hoje é dia do TBT do Funk, pra relembrar um pouco da nossa história. Hoje, o Portal KondZilla separou uma lista de minas que, lá atrás, abriram espaço para que mais mulheres pudessem chegar no movimento e somar junto. Se liga:

MC Cacau

MC Cacau é uma mina relíquia de verdade. Em 1994, a carioca estourou com “Rap do Baile”, um grande hit dos anos 1990. Anos depois, Cacau gravou “Porque Te Amo”, com MC Marcinho, outro sucesso. Com a queda do funk melody, MC Cacau chegou a se dividir entre o funk e a venda de panfletos na rua. Hoje, ela tem um salão de beleza e continua com shows na comunidade.

MC Kátia

Outra relíquia do funk carioca é MC Kátia, que quebrou tudo nos anos 2000. Ao lado de MC Nem, Kátia lançou o sucesso “Duelo”, uma treta entre uma amante e uma fiel. Depois de anos, a dupla se reuniu e gravou o videoclipe do hit. A fiel ainda foi uma das homenageadas no videoclipe “Rainha da Favela“, da Ludmilla, que reúne as minas que marcaram o funk carioca. 

Deize Tigrona

Também do Rio de Janeiro, Deize Tigrona fez muito sucesso nos anos 2000. Em 2002, ela lançou “Injeção”, com o DJ Marlboro. A música chamou a atenção do Diplo, que sampleou o som na música “Bucky Done Gun“, da M.I.A, lançada em 2005.

Depois disso, Deize alcançou sucesso intrernacional e chegou a fazer shows na Europa. Em 2016, a funkeira voltou a trabalhar como faxineira e gari, trampo que exercia junto com a carreira no funk antes de estourar, e em 2019, voltou a se dedicar ao funk. 

Valesca Popozuda

Considerada por muitos como a rainha do funk carioca, Valesca foi cantora do grupo Gaiola das Popozudas durante muitos anos na década de 2000. O grupo é dono de “Late Que Eu To Passando“, “Agora Sou Solteira” e “Quero Te Dar”. Em carreira solo, Valesca lançou “Me Ama”, feat com o Mr. Catra, e “Beijinho no Ombro”, e muitas outras.

Kamilla Fialho

Uma das maiores figuras do ramo de empresariamento musical do Brasil, Kamilla Fialho abriu caminho para as minas do business. Kamilla começou trabalhando na Furacão 2000, e logo se jogou no ramo de empresariamento de artistas e fundou a K2L. Ela foi responsável pela carreira de muitos artistas, como Anitta e Lexa.

Tati Quebra Barraco

Dona dos hits “Boladona“, “Dako é Bom“, “Sou Feia Mas Tô na Moda“, “Mamãe da Putaria“, e muitos outros, Tati Quebra Barraco virou um ícone do empoderamento feminino por causa de suas músicas sobre indepêndencia e sobre sexo do ponto de vista feminino.

MC Menorzinha

“Mina top eu”, MC Menorzinha representou as novinhas da Cohab 1 com a música “Bonde da Ecko Red”. Menorzinha começou no funk com 12 anos e largou a carreira muito rápido, mas marcou demais o funk. Em entrevista ao podcast Rap, falando, ela contou mais sobre ter deixado o funk de lado.

O tema mulheres no funk foi debatido no programa “HERvolution” e contou com a presença da coreografa Tainá Grando, e as MCs Lynne, Fanieh e Tati Zaqui. O programa é exibido toda terça-feira, às 23h30, na Rede TV!

PUBLICIDADE Flowers

Veja também

PUBLICIDADE Flowers
ARTE E CULTURA MÚSICA MODA EDUCAÇÃO ESPORTE EVENTOS EMPREENDA ENTRETENIMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR TECNOLOGIA