Primeira brasileira no UFC e dona do cinturão, conheça a história de Jéssica Andrade

Autor: Wenderson França

Fotos por: Reprodução // Redes Sociais

Esporte | 19/06/2019 12:42:34

Anexo faltante

O lugar da mulher é aonde ela quiser. Essa frase dá total sentido a conquista da paranaense Jéssica Andrade. Com 27 anos, ela é a primeira brasileira a chegar no UFC, além de ser também a lutadora com mais vitórias na competição. Fenômeno do MMA e com uma história para se inspirar, a lutadora participou do videoclipe dos funkeiros MC Guimê e MC Rodolfinho. A música “Nunca Foi $orte” é um retrato de momentos dos MCs onde eles tiveram que lutar para chegar em seus objetivos.

No videoclipe, a lutadora deixa depoimentos voltados a momentos de sua carreira que assim como os funkeiros tiveram que correr atrás para chegar onde chegou. “Foi tudo muito sofrido, muito batalhado, mas valeu a pena. Dê o seu melhor, busque o seu sonho, jogue ele o dia inteiro para o universo. Diga ‘eu vou ser a melhor, eu vou conquista o meu sonho, eu vou chegar e vai da certo'”. Disse Jéssica em um trecho de seus depoimentos no clipe.

A história de Jéssica começa no ensino médio quando teve o primeiro contato com a luta através de um projeto social de judô. Na época, com apenas 18 anos, ela acabou apaixonada pelas artes marciais. Mas tinha que dividir sua energia entre o trabalho em uma farmácia e os treinos, já que não tinha um patrocínio. Mesmo assim, a lutadora jamais desistiu. Logo, sabia o porque estava enfrentando aquela batalha fora dos tatames, queria de qualquer forma ser uma lutadora profissional, não importava quantas lutas precisasse vencer.

Em entrevista para o site Cláudia, Jéssica relatou ter sofrido preconceito dentro de sua própria família no início de sua carreira. Eles achavam que artes marciais não eram para mulheres. Mesmo assim, a campeã dos tatames persistiu em seu sonho. “Na minha família tinham pessoas que diziam ‘Tem certeza que é isso que você quer? Tomar porrada na cara? Isso não é coisa de mulher’. Mas eu não abaixei a cabeça, sabia que era boa e ser lutadora era meu sonho. Eu falava vocês vão ver que vou lutar no UFC e vocês vão me ver na TV”.

View this post on Instagram

O sonho se realizou! Não sei nem por onde começar. Mas primeiramente quero agradecer a Deus, porque ele preparou tudo! O dia que eu seria campeã, o local, as pessoas que iriam estar em minha vida nesse momento! Obrigado Deus 🙏🏻 Ao meu pai e mestre @gilliardparana por ter acreditado em mim, me tirado da roça e me dado uma vida incrível ao seu lado ensinando cada passo, cada golpe, cada arte marcial, gratidão de uma vida inteira ao seu lado mestre @gilliardparana obrigado por nunca ter desistido de mim, Eu te amo❤️ @vieirapola Obrigado por me acolher na sua casa e acreditar que tudo iria acontecer, Meu preparador físico @marcopreparadorfisico que está comigo muito antes do @ufc cuida da minha parte física, do meu gás infinito! A minha equipe @prvaletudo que esteve ao meu lado meus parceiros de treinos as PRVTGIRLS minhas irmãs que me ajudam em tudo!!! Vocês são foda! Esse cinturão é nosso. Minha esposa @fergomes_andrade que está comigo a 3 anos me apoiando, deixando de fazer varias coisas para viver meus sonhos e me ajudar em tudo, neste camp ela quebrou o pé e mesmo sentindo tantas dores não me deixou nenhum dia, eu te amo muito ❤️ Minha família, meus amigos, meus sogros @cida_sanchesgomes @humbertogomes4643 que cuidam da nossa casa, dos meus cachorros, e me deixam tranquila para treinar. Aos meus pais Neuza e Júlio, mesmo estando longe obrigado por sempre torcer! Ao longo de toda a minha carreira no MMA eu ouvi que não possuía técnica, que era só força, que eu vencia na força, eu aprendi a lutar já sendo contratada pelo maior evento do mundo, iniciei minha vida no MMA com 19 anos e aos 21 já estava pisando no octógono mais famoso do planeta, minha evolução é nítida a cada luta, e eu disse que voltaria a ter essa oportunidade e sairia do octógono campeã, a profecia se cumpriu, hoje meus planos mudam, vou me aperfeiçoar mais no MMA junto ao meu mestre, vou aprender a falar inglês, e o principal treinar muito para me manter campeã por muitos anos, chegar a ser campeã não foi fácil, e se manter sei que também não será, hoje se inicia uma nova jornada! Conto com o amor e apoio de todos vocês, eu amo meu país e me sinto honrada em poder representar o Brasil 🇧🇷

A post shared by Jessica Andrade “Bate Estaca” (@jessicammapro) on

Persistente a lutadora virou sinônimo de orgulho dentro de sua família, logo, com todo o destaque conquistado em sua trajetória seria difícil não enxergarem o quanto Jéssica é determinada e capaz de chegar em seus objetivos, mesmo tendo que derrubar várias barreiras.

Apelidada como “Bate estaca”, Jéssica foi também tema de um dos oito episódios da série “Mulheres Na Luta“, transmitida pelo canal GNT. A série documental retrata a trajetórias de lutadoras em busca de reconhecimento no ramo das artes marciais e tem temas como: sexualidade, maternidade, casamento e família abordados.

No final das contas, histórias como a de MC Guimê e do MC Rodolfinho se interligam com a da lutadora Jéssica Andrade através do sentimento e da crença depositada em seus propósitos. Fica como aprendizado: tudo é possível quando temos um objetivo concreto e estamos dispostos a buscá-lo. Seja como a lutadora, seja como MC, não deixe que as pessoas tentem ditar o que vai ou não dar certo para você. Acredite em si mesmo o resto é consequência de sua luta.

Acompanhe Jéssica nas redes sociais: Instagram // Facebook

Leia também:
‘Nunca Foi $orte’ retrata a caminhada do MC Guimê e MC Rodolfinho
Rick Chesther confirma: nunca foi sorte, sempre foi determinação

O quê você
procura?