Nove anos sem Duda do Marapé um dos relíquias da Baixada Santista
Créditos: Reprodução // Redes Sociais
- Por Gabriela Ferreira

Nove anos sem Duda do Marapé um dos relíquias da Baixada Santista

O Duda do Marapé é ídolo de muitos dos seus ídolos de hoje. Um dos nomes mais marcantes do funk da Baixada, Duda foi morto no dia 12 de abril de 2011. Uma verdadeira relíquia do funk, Duda é lembrado até hoje por muita gente. Vamos relembrar um pouco a história deste cantor e manter vivo seu trabalho.

Cria da do Morro do Marapé, em Santos, Eduardo Antônio Lara, mais conhecido por todos como Duda do Marapé, é dono de músicas como “Lágrimas“, “Bonde dos Régias” e “Ideias Ideias“. É comum ver pessoas citando o funkeiro como um compositor foda.

Duda fazia funk de relato assim como Felipe Boladão. A música mais famosa do Duda, “Lágrimas“, ele fez enquanto estava no privado e a música fala sobre isso.

Quando foi assassinado em abril de 2011, Duda tinha apenas 27 anos e deixou duas filhas. Uma delas, ano passado, lançou uma música em homenagem ao pai. Seguindo os mesmos passos, MC Manu do Marapé, lançou a música “Pai, te amo tanto”.

A música fala sobre a falta que faz o pai e Manu relata que o funk pede paz. Ela ainda fala como quer um dia reencontrar o pai e cantar com ele.

Fazendo falta, principalmente na vida das filhas e do restante da Família, Duda do Marapé deixou seu legado e jamais será esquecido.

Leia também:

Abril é um mês de luta pro funk
3 músicas para relembrar o eterno Felipe Boladão, 10 anos depois de sua morte

Tags relacionadas:

Relíquias do funk

Matérias

Funk