Nike Brasil se despede da linha Shox celebrando sua história com a cultura funk
Imagem: Reprodução Créditos: Reprodução
- Por Fernanda Souza

Nike Brasil se despede da linha Shox celebrando sua história com a cultura funk

A linha Shox da Nike não será mais fabricada no mundo, por isso, mais do que nunca, quem tem um modelo está portando uma relíquia. Por conta dessa decisão, a Nike Brasil encerrou o ciclo contando a história da linha desde sua idealização na década de 80, a ligação com a cultura brasileira e curiosidades. Para marcar a ação, alguns funkeiros receberam uma carta e um par de Shox, cola no Portal KondZilla que a gente te conta o que rolou.

A importância dessa relíquia pro funk

Já falamos dessa relíquias, portanto você certamente conhece, gosta ou já quis portar um Shox, independente do modelo, como um R4, 12 Mola, uma edição do Neymar, uma coleção de relançamento e outros. De acordo com a Nike BR, curiosamente, o nike de mola ou tubarão (como é chamado nas quebradas) foi mais vendido aqui no nosso país, sobretudo em São Paulo. 

Imagem: Reprodução

O diferencial desse gigante é exatamente as molas, uma tecnologia que  começou a ser pensada em 1984 pelo designer Bruce Kilgore para criar um tênis o qual ajudasse o desempenho de corredores. Mas, somente nos anos 2000 essa engenharia teve um ‘’bum’’ no mercado, pois o jogador de basquete Vince Carter apareceu usando no Jogos Olímpicos de Sydney o modelo BB4. Tamanho sucesso, nasce o R4 (o conhecido 4 molas), depois em 2003 o TL (12 molas) e claro, os relançamentos e collabs como as que o Neymar participou. 

Por causa de sua popularidade foi mencionado em inúmeras músicas de funk e celebrado por artistas como o MC Kauan, o qual foi um dos responsáveis por trazer o tênis cada vez mais pra perto da nossa identidade. Se você pesquisar ou forçar a memória vai se lembrar de algum som com menção e uso das palavras ou expressões “12 mola” e “shox’’. Separamos uma playlist no Spotify com mandelão, consciente e ostentação que mencionam o artigo.

MC Kauan // Imagem: Reprodução

É muita história por trás desse clássico, desde seu nascimento até a nossa paixão por but esportivos. Tanta coisa  pra gente pegar uma visão sobre como a moda está ligada à cultura, por isso, como música é cultura, moda também tem tudo haver com quem é do funk. Afinal, construímos uma nova identidade bem nossa cara aqui no Brasil no jeito de usar o Shox.

Imagem: Reprodução

Encerramento de ciclo com muito funk

O MC Hariel, DJ FP do Trem Bala, DJ Ray Lais e DJ Matt D receberam um par de Shox e a carta que conta toda a história do tênis e explica sua importância para nós brasileiros. É uma forma de estabelecer contato com a cultura funk.

Cada um dos escolhidos representa uma identidade de funk e estado do país, como por exemplo, FP do Trem Bala do Rio de Janeiro e Ray Lais de Minas Gerais. Além disso, o texto buscou valorizar a figura feminina e o papel do DJ, os quais também são protagonistas da cena funk. Daí, em cada carta tem particularidades de cada artista, que ressaltam suas caminhadas, mostrando cuidado com suas histórias.

@efipedotrembala

Olha que a Nike enviou pra mim

♬ Freio da Blazer – L7NNON

Foi bem diversa a interação com o público, por isso geral teve certeza se o Shox ia deixar mesmo de ser fabricado. Alguns publicaram e contaram suas histórias com o tênis nos stories do Instagram ou post no Twitter como o do o MC Hariel: “Sem dúvida é um tênis que sempre quis na adolescência’’.

O DJ FP do Trem Bala fez um TikTok para mostrar o recebido e a carta, enquanto o DJ Matt D fez uma live pra contar rapidamente pros seus fãs toda narrativa. Ainda, registraram em foto para deixar marcado a interação da moda e o funk. 

DJ FP do Trem Bala, MC Hariel e DJ Ray Lais
Imagem: Arquivo pessoal

A realidade é triste pra nós que amamos but: a linha não será mais vendida no mundo, deixando saudades e um grande legado. Se você tem uma relíquia dessa, tira uma foto e marca a gente, ou ainda, conta sua relação de história com Shox. 

Tags relacionadas:

Comportamento

Matérias

Funk