De Carlinhos Brown a BTS, as influências do novo disco do Psirico
Créditos: Leo Caldas // Portal KondZilla
- Por Gabriela Ferreira

De Carlinhos Brown a BTS, as influências do novo disco do Psirico

Ontem foi um dia histórico pra Bahia, nas palavras do próprio Márcio Victor, o vocalista da banda Psirico,  um dos maiores nomes da música da Bahia, que estourou no Brasil todo com o sucesso de “Lepo Lepo“. Segundo ele, quando saísse “Beat do Psirico“, uma música do seu novo EP “#ÉPsi“, no Canal da KondZilla, ia ser farra na terra baiana porque essa é a primeira vez que rola um pagodão baiano no canal. Nós do Portal KondZilla colamos no dia da gravação pra conversar com esse que é um dos gigantes da música brasileira.

“Beat do Psirico” mostra como o som da banda dá pra ser curtido por todo mundo de todas as idades porque pensa num som que é dançante e ninguém consegue ficar parado. A música faz parte do EP “ÉPsi“, feito só de inéditas. “O estúdio é o lugar onde a gente mais cria, consegue colocar mais elementos como a percussão e o groove, vai misturando muita coisa”, comenta Márcio Victor sobre voltar a gravar um novo lançamento. “Esse é o lugar onde a gente pode experimentar mais porque nos shows é mais batidão, né? O som já vai pronto. Por isso que estar em estúdio é o que eu mais gosto de fazer”.

Pra deixar tudo bem foda, o disco contou com a mão do maestro de música clássica Alfredo Moura, que acrescentou uma sonoridade diferente pro pagodão do Psi. “Os fãs cobram pra gente sempre continuar experimentando coisas novas. Aí chamamos ele pra música “Temporal“, que tem uma letra linda e tem essa mistura de sinfonia com a música baiana”.

Arte sempre vem com referência, seja de situações do dia a dia, de filmes, músicas ou qualquer outra coisa que possa nos inspirar, em “#ÉPsi” não foi diferente. “O artista que mais me influencia é o Carlinhos Brown, que é das antigas e ao mesmo tempo é moderno demais, mas hoje tenho ouvido muito o afrobeat e MCs que considero que estão fazendo o melhor que tá rolando de música no Brasil: Kevinho e Kevin o Chris“, revela Márcio sobre suas influências. “Hoje somos muito influenciados pela música nova, como os novos nomes da Bahia, tipo Kafé e Majur. Até BTS eu to ouvindo! As músicas são dançantes, o jeito deles de se vestir e de conduzir a carreira, adoro”.

Se você reparar, de uns anos pra cá, houve uma mudança nas músicas da Bahia (que era conhecida pelo axé). Pra incentivar essa renovação da música baiana, precisou vir uma galera que meteu o pé na porta pra colocar a Bahia (e o Nordeste) no mapa da música brasileira, um desses artistas que influenciou a nova geração foi o Psirico. “Eu vejo essa renovação como algo muito novo. Agora estamos falando de Nova Bahia, Nova Recife. O bregafunk, por exemplo, é uma expressão muito forte da cultura do povo. O brega ainda é um ritmo discriminado, assim como nosso pagodão também foi. Servir de inspiração pra toda essa galera é muito gratificante, ainda mais sabendo que eles levam muito do nosso som. Larissa Luz, Afrocidade, Xênia França são a nova cara da música baiana e todos eles curtem Psirico”, diz ele.

View this post on Instagram

Tocar no meu bairro é uma emoção incrível. O bairro onde me criei, onde nasci e onde as pessoas me amam e me protegem ❤️🙏🏽 Essa festa é uma festa tradicional, antes de eu nascer já existia e até hoje as pessoas cultuam o samba junino(samba duro) do Engenho Velho de Brotas, essa raiz que me mantem forte e estar junto do meu povo significa união, significa força, eu junto deles me sinto mais forte. É uma época em que eu escolho sempre nessa data (23, 24 ou 27 e 28) estar no Engenho Velho de Brotas porque tem as comemorações juninas até hoje lá no meu bairro. Isso se cultua em vários bairros populares de Salvador e no meu bairro é especial porque tem um concurso criado pro grupo união 🔝 A nova geração tem como obrigação manter essa festa viva. 🙏🏾❤ Quero agradecer aos moradores do meu bairro, a Neivaldo,Jorjão bafafé , Mario Bafafé , Jacira , Murilete, Lobo mau e a todos os grupos de samba da Minha Bahia e agradecer também a turma da organização do circuito do samba Junino, agradecer ao governo do Estado por ter apoiado, a Bahia Tursa, a Júnior Paganeli e a todos os colaboradores dessa grande festa. Até 2020. 🎊❤ . . #EngenhoVelho #SãoJoãoDoPsi #Até2020 #VaiTerAudioDesseShow #MeuBairroDoCoração #VivaOSambaDuro #MuitoObrigadoAtodos #OMeuBairroTáFeliz #AtéBreve 🙏🏽❤️🔝

A post shared by MÁRCIO VICTOR (@psirico) on

Muita gente, principalmente aqui no Sudeste, lembra do grupo pela música “Lepo Lepo“, que viralizou no Brasil em 2014 e talvez por causa disso nem saiba que o grupo existe desde o ano 2000. Na Bahia, o Márcio Victor é tão grande que ele nem pode sair na rua sem que uma pessoa o reconheça. Desde o começo da banda, já são 19 anos fazendo a galera pular. “O sonho da gente era chegar no topo e ser representante da música baiana. Conseguimos isso. O povo ama demais Psirico, me ama demais. Essa coisa de como se manter no mercado tem a ver com esse amor da galera”, diz ele. “Quando você conquista o coração das pessoas com algo que seja verdadeiro, esse amor nunca acaba. Então a gente se preocupa muito com tudo, quando subimos no palco, queremos apresentar o melhor show que der. Nos preocupamos com figurino, som, luz”.

“Tamo trampando muito. Estar mantendo a nossa raiz, mas trazendo uma modernidade pro nosso som é uma das coisas que também ajuda a gente a se manter tanto tempo no mercado”, completa Psirico sobre esse corre da música.

Apesar de já estar há alguns anos no corre e ter uma base sólida de fãs, com muitos shows por aí, ainda existem sonhos a serem realizados pelo grupo. Um deles é lançar um videoclipe pela KondZilla. “A gente sempre pensou em estar junto de grandes marcas e a KondZilla é uma referência de música no mundo inteiro. Os gringos quando querem ouvir som brasileiro, eles procuram KondZilla”, diz ele. “Os caras lá da banda que ficaram na Bahia ficam o dia inteiro pedindo foto da gente gravando. Eu sempre mando e digo que tamo nos divertindo”. Pronto, mais um sonho realizado.

Acompanhe o Psirico pelas redes sociais: Instagram // Facebook

Leia também:
Léo Santana o gigante do Pagodão

Tags relacionadas:

Musica