Brega e trap combinam mais do que você imagina, conheça o MC Draak

Autor: Gabriela Ferreira

Fotos por: Reprodução // Redes Sociais

Bregafunk | 28/11/2019 14:33:37

Anexo faltante

O brega funk é um ritmo filho, vamos dizer assim, do brega, a música romântica do Recife. Conforme o brega funk foi crescendo, desde 2018, quando começou o boom do ritmo, cada vez mais artistas foram pipocando pra somar junto ao movimento pernambucano. Vimos versões de brega de funks 150 BPM, de funks paulistanos e até de música sertaneja. Agora, mais uma vertente do brega está vindo: o brega trap. Brota que o Portal KondZilla foi atrás de saber mais sobre essa possível nova moda.

“Se formos analisar, faz muito sentido essa mistura. Ambos os movimentos do trap e do brega foram criados na favela. Os dois ritmos e os passinhos já tiraram muitos [jovens] da criminalidade”, diz MC Draak, sobre o brega trap. “Eu, por ser fã de trap, quis juntar algumas ideias do trap com o brega”.

Anderson Sadrak Nascimento da Silva, vulgo MC Draak, de apenas 22 anos, entrou no brega funk em 2016, depois de começar cantando música pop. Só em 2018 ele conseguiu virar um som, “Senta Malvada”, com o MC Jeffinho e Marley no Beat, que hoje já tem mais de 4 milhões de visualizações no YouTube.

Já em 2019, Draak foi começando a misturar o trap em seu som. Ele começou colocando adlibs (falas improvisadas, como o “skrt” do Migos que são muito comuns no rap). “Também quis ir incorporando o flow na melodia, juntei o estilo de se vestir, o estilo de vida e nasceu o brega trap daquele jeitão”, diz ele. “É legal que você se sente no trap, mas ao mesmo tempo pode lançar o passinho”.

O primeiro brega trap oficial do MC foi “Se Solta“, com o MC GW, com direito a um videoclipe bem na estética do trap gringo. “Gosto muito do Lil Skies, Lil Peep, Lil Pump, XXXTentacion“, comenta sobre suas referências.

Draak não é o único que chapa num trap gringo. Segundo ele, o trap tem bastante fã no Recife e o ritmo é tocado inclusive nos bailes de brega funk. “Quando vem um artista de fora fazer show aqui, o pessoal curte, mas quando é show da cena underground, o pessoal não apoia muito”, passa a visão da cena. “Foi por isso, inclusive, que quis fazer o brega trap e juntar a galera dos dois ritmos”.

Dadá Boladão e o brega trap

Recentemente, o brega trap atingiu outro patamar com o lançamento da versão brega funk de “Surtada“, do Oik, mano carioca que faz trap. Apesar de ser mais brega funk, o som é um dos primeiros, se não o primeiro, a mesclar o trap com o brega.

Estreitando ainda mais a relação do brega funk com o trap, nesta semana, Dadá Boladão voltou com o videoclipe de “Diabinha“, um remix brega da música de mesmo nome do Diomedes Chinaski, um dos principais nomes do trap nacional.

Ainda é cedo pra Dadá Boladão e Diomedes Chinaski com ‘Diabinha‘ cravar que o brega trap é a nova sensação, mas já vimos que o pessoal está se empenhando em fazer com que a nova vertente do brega se desenvolva ainda mais.

Acompanhe o Draak nas redes sociais: Instagram
Acompanhe o Dadá Boladão: Instagram

O quê você
procura?