Comportamento

TikTok: Fany Perera aprendeu a ser durona para se defender de bullying

03.02.2022 | Por: Gabriela Ferreira

Olhannn! Não se fala em outra pessoa nas redes sociais que não seja a Fany Perera, a encrenqueira do TikTok. A jovem de 21 anos se jogou na rede social em novembro de 2021 e viu na criação de conteúdo uma forma de se manter e de melhorar a relação com a autoestima. A KondZilla trocou uma ideia com ela pra saber mais sobre as histórias que ela conta na plataforma. Chega mais:

Assim como aconteceu com milhares de brasileiros nos últimos anos, Stephanie Pereira perdeu o emprego por conta da pandemia da Covid-19. Depois do desemprego, Fany se jogou na criação de conteúdo para as redes sociais e hoje consegue viver disso. “Comecei no TikTok em novembro de 2021, mas queria ter começado antes. Não comecei antes porque tenho estrabismo, um leve desvio no olho, e isso me deixava muito insegura. Demorei muito para me aceitar a ponto de me expor em redes que nem o Tik Tok”, comenta Fany. 

@pererafany Responder @fernandaxsx #fypシ #olhan ♬ som original – Fáany Pereira

Com vídeos com mais de quatro milhões de acessos e milhares de likes, Fany superou o medo da exposição e hoje ajuda outras meninas a se sentirem melhor com a aparência delas. “O TikTok ajudou muito a minha autoestima porque eu tinha muito medo das pessoas comentarem do meu estrabismo ou da minha aparência. Eu sabia que a internet era uma terra de ninguém e tem muitos hater. Mas, minha vontade de crescer minha imagem era muito maior. Meu sonho sempre foi ser reconhecida”, diz Fany. 

A jovem começou nas redes sociais postando vídeos de dança, mas tudo mudou quando ela teve a ideia de contar sobre uma briga que ela teve na escola. O vídeo viralizou e Fany passou a contar mais e mais histórias sobre algumas tretas que ela já se envolveu. 

@pererafany Responder @diix_peca #fypシ #olhan ♬ som original – Fáany Pereira

Virar durona foi uma forma que Fany achou para se defender do bullying que vivia na época da escola. “Já levei chuva de ovada, já jogaram bosta de cavalo no meu cabelo, abriram um ao vídeo ao vivo para me zoar. Eu faltava na escola todo dia para não sofrer bullying. Repeti de ano por falta e minha mãe só descobriu no final do ano porque eu saía de casa no horário certo, mas não entrava na escola. Antes de repetir, eu já havia sido chamada atenção por falta, mas inventava desculpa para minha mãe não descobrir”, relembra Fany. 

Para ela, o reconhecimento não é bom só pela fama, também é uma recompensa por tudo que ela já passou: “Ser recebida de braços abertos foi a melhor coisa que me aconteceu porque significa que eu ganhei essa luta contra a autoestima baixa. Fico muito feliz quando as meninas comentam que sou bonita, mas sempre que alguém fala que queria ser igual a mim, já corto falando que cada um tem a sua beleza, seu carisma e todo mundo deve brilhar”.

PUBLICIDADE Flowers

Veja também

PUBLICIDADE Flowers
ARTE E CULTURA MÚSICA MODA EDUCAÇÃO ESPORTE EVENTOS EMPREENDA ENTRETENIMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR TECNOLOGIA