Comportamento

Se liga: o que rolou no último dia do Festival Perifericu

14.02.2022 | Por: Carolina Matias
irmas de pau

Neste último domingo (13), o Perifericu – Festival Internacional de Cinema e Cultura da Quebrada, contou com uma programação extensa! Tiveram exibições de filmes dos idealizadores do evento, a Maloka Filmes, seguido pela premiação e encerrando a noite, rolaram os shows de Badsista e da dupla bafônica Irmãs de Pau. Confira na KondZilla!

Festival Perifericu
Imagem: Carolina Matias
Badsista
Imagem: Carolina Matias

A noite foi marcada pela premiação que contemplou diversos filmes, incluindo vencedores de diferentes cidades do país. O festival é voltado para a periferia e tem o intuito de celebrar a existência de corpos LGBTQIA+ através da arte de quem produz nesse território. Durante os cinco dias, o festival itinerante circulou em três polos culturais da zona sul: o Bloco do Beco, o Espaço Reggae e a Casa de Cultura do M’Boi Mirim.

Premiação – Jennyfer Nascimento e Irmãs de Pau
Imagem: Carolina Matias

A premiação seguiu em quatro categorias, com um júri de três pessoas que fizeram escolhas entre elas. Além disso, a seleção contou com a categoria do voto popular, e em cada sessão as pessoas tinham cédulas de votação, podendo votar em até dois filmes, e também menções honrosas. 

Wellington Amorim, 27, Jardim Ângela, Zona Sul, é um dos idealizadores do festival e membro da Maloka Filmes. Para ele, quem vence é o cinema periférico, “a gente contou com uma categoria de premiação que se chama filme comunitário, prêmio de cinema comunitário, que é justamente o sentido do festival, se opor ao cinema hegemônico, ao cinema elitista, que você tem que ir e pagar 50 reais no ingresso”, disse. 

Irmãs de Pau
Imagem: Carolina Matias

A dupla babadeira Imãs de Pau tomou conta da apresentação do festival, e elas contaram um pouco de como foi a experiência de estar nesse lugar: “A gente apresentou o festival do nosso jeito, e é isso que precisava, ficou com a cara da periferia, mostrando pra galera que tá consumindo que a gente não precisa ficar indo pro centro ou pagando coisas caríssimas de pessoas que têm recurso pra produzir. A gente pode se articular e produzir na quebrada”, disse Isma Almeida.

Isma Almeida
Imagem: Carolina Matias

Para elas, o festival não é só cinema, fala de sonhos de artistas da música, de maracatu, slam, e de todos os artistas da quebrada. Vita Pereira acredita que a organização periférica se trata do direito de circular nesse lugar: “A gente criou um polo de encontro, uma encruzilhada, para que as outras periferias que ficaram sabendo desse babado comecem a se organizar nas suas quebradas também, porque a gente não tá falando só sobre cultura, estamos falando sobre mobilidade urbana. Quem tem direito à cidade?”, disse.

Vita Pereira
Imagem: Carolina Matias

O festival foi contemplado por fomento público da SPCine e apoio do Programa para a Valorização de Iniciativas Culturais do Município de São Paulo – VAI, Associação Bloco do Beco, Casa de Cultura do M’Boi Mirim, Projeto Paradiso e TodesPlay.

Confira a lista de premiados:

Prêmio Linn da Quebrada de Destaque de Curta-Metragem. Linn é cria da Fazenda da Juta, travesti babadeira, atriz, cantora, compositora e ativista. Prêmio: troféu e consultoria do Projeto Paradiso.

– Premiado: Cordel da Vila – @antonimogil.leal

Menção Honrosa de Destaque

– Premiado: Madeira de Lei – @umapinoia

Prêmio Neon Cunha de Destaque de Roteiro. Neon Cunha é natural de Belo Horizonte, mulher, negra, ameríndia e trans e Prêmio de Aquisição SPCINE de R$1.500 e veiculação no catálogo da Spcine Play.

– Premiado: Procura-se bixas pretas – @vinicius.eliziario

Menção Honrosa de Roteiro

– Premiado: E Se José Fosse Deus? – @aryanimarciano

Prêmio Seu Escurinho de Filme Comunitário. Francisco Miguel de Paula ele chegou no Jardim Ibirapuera em 1963, um homem cis negro, grande músico e uma importante liderança comunitária da quebrada. Prêmio: troféu e consultoria do Projeto Paradiso.

– Premiado: Mutirão: O filme – Lincoln Péricles (LKT)

Menção Honrosa de Filme Comunitário

– Premiado: Chato – @jesslauane

Prêmio Dona Madalena de Pega a Visão. Dona Madalena, uma importante liderança comunitária e religiosa, é uma mulher preta que no início da ocupação do terreno conhecido hoje como Jardim Ibirapuera e Prêmio: troféu e consultoria com o Projeto Paradiso.

– Premiado: Ararinha da Viola – @isisbroken

Menção Honrosa Pega a VisãoPremiado: Noite das Estrelas – @lino.wallace & @pvlino

Menção Honrosa Especial do Juri Técnico @projetoparadiso

– Premiado: Luazul – @puberdade2

Prêmio Leo Moreira Sá de Destaque de Curta-Metragem Júri Popular. Leo é ator, designer de luz, dramaturgo, roteirista, jornalista e cofundador do CATS – Coletivo de Artistas Transmasculines. Militante desde a década de 80, Leo Moreira é uma figura referência e reivindicadora pela visibilidade da comunidade transmasculin. A votação foi aberta a todo público online nos dias das sessões e online por 24 horas para cada sessão. Prêmio: troféu e consultoria com o Projeto Paradiso.

– Premiado: Procura-se Bixas Pretas- @vinicius.eliziario

Prêmios Spcine @spcine, que desdobra na Premiação de Aquisição em que os filmes ganham R$1.500 cada um e entram pro catálogo da SPCINE Play:

– Procura-se Bixas Pretas- @vinicius.eliziario

– Tenebrosas- @jhonnasoueu

– O Último Cinema de rua- @mg.vianna

A programação do Festival Perifericu foi gratuita. “Apesar dos premiados, quem vence é o cinema e a periferia”, disse Wellington Amorim. Ele ainda disse das perspectivas da produtora e sobre próximos festivais: “A Maloka filmes pretende rodar dois filmes ainda esse ano. Conseguimos fomento público para essa edição, e esperamos que o festival seja o primeiro de muitos, que possam ter muitas edições do Perifericu”.

PUBLICIDADE Flowers

Veja também

PUBLICIDADE Flowers
ARTE E CULTURA MÚSICA MODA EDUCAÇÃO ESPORTE EVENTOS EMPREENDA ENTRETENIMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR TECNOLOGIA