“Não é porque estou dando grau que sou bandido ou a moto é roubada”, diz Donas, Influencer e Youtuber
Créditos: Reprodução
- Por Wenderson França

“Não é porque estou dando grau que sou bandido ou a moto é roubada”, diz Donas, Influencer e Youtuber

Os dias passam, e a cultura do grau vem conquistando cada vez mais o coração da molecada dentro das quebradas, se tornando, inclusive, uma nova profissão pra quem produz conteúdo sobre esse rolê, levando os caras a uma ascensão financeira, próxima a de um jogador de futebol. É o caso de Marcos Vinicius Donatti, o Donas, de 24 anos. Mostrando o estilo de vida em duas rodas e entretendo quem o acompanha, o morador do bairro João 23, na Zona Oeste de São Paulo, cresce cada dia mais na internet e é inspiração para muito mano apaixonado pelo grau e corte. Cola com o Portal KondZilla e pega a receita!

“Desde pequeno ousado, grau de magrela“, já diria MC Neguinho do Kaxeta no funk “Problemático”. E é assim mesmo que acontece: “Grau começa desde quando o moleque ou a menina aprendem a andar sem as duas rodinhas na bicicleta, os pais sempre falam ‘dá um grau’. Então, por mais que seja perigoso, no meu ver não é algo que a sociedade acha zoado”, explica Donas. 

O influencer conta que ainda existe um preconceito muito grande com a galera do grau e corte, mesmo quando as manobras são praticadas em um local abandonado: “Não é porque eu estou dando grau que eu sou bandido ou que a moto é roubada”, defende. 

Como desmistificar essa visão? Donas manda o papo: “O primeiro passo para tornar o grau um esporte pode ser utilizando um espaço seguro como Interlagos (autódromo), Anhembi ou na Praça do Pacaembu. Não é nada surreal, tanto que estou construindo o espaço do Graupão; lá vai ter uma pista, onde as pessoas vão poder aprender empinar de forma segura. Vamos tentar começar por aí, mostrar que dá para ter um grau seguro e prudente”. Conheça o projeto galpão do grau de donas localizado em São Paulo.  

Profissão adrenalina

Lançou o “fio fio” (bordão desse mano do João 23) – sabemos que Donas está na área. Vivendo a vida em cima de duas rodas, ele conta como tudo começou: “A paixão por grau e moto veio do meu pai, é de família. Ele sempre gostou de carro e moto e, mesmo sendo de quebrada, ele sempre foi correria, vários trampos. Por isso, tive uma criação enxergando esse estilo de vida com brilho nos olhos”.

A herança familiar hoje é passada adiante através do Youtube (2 milhões de inscritos) e Instagram (880 mil seguidores), plataformas nas quais Donas é referência para muita gente. “Ao mesmo tempo que é daora, sinto uma responsa muito grande porque preciso pensar um milhão de vezes antes de fazer qualquer coisa. Mas eu gosto, sou feliz com o que eu faço, e sei que ajudo outras pessoas a serem um pouco mais felizes”, relata.

Além de dar um grau em grande estilo, Donas é formado em Tecnologia da Informação (T.I), dono de mercado, influencer e youtuber. Hoje no auge, ele passa a visão para os moleques que se inspiram no corre dele: “Aquele clichê básico: nunca desistir, se você desiste nunca chega em lugar nenhum. E estude, mas estude não só no sentido de ir pra escola e aprender o básico, seja bom fora da escola também, busque coisas novas, se espelhe em pessoas boas, tenha humildade, saiba chegar e sair de qualquer lugar e tenha os pés no chão que vocês vão chegar longe”.

Acompanhe Donas nas redes sociais: Instagram // Youtube

*A prática do grau, também conhecida como “wheelie” , “wheeling”, ou “stunt”, é considerada um esporte radical, que consiste na realização de manobras com motocicleta e/ou bicicleta, por indivíduos habilitados e autorizados pelos Órgãos Públicos e em locais próprios. Entretanto, a legislação brasileira não permite essa atividade nas ruas, estabelecendo no Código Brasileiro de Trânsito, em seu art. 244, inciso 3, que conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor, fazendo malabarismo ou equilibrando-se apenas em uma roda, é considerada infração grave.

Tags relacionadas:

Comportamento