Jovens do Rio misturam funk com música clássica

Autor:

| 10/12/2018 12:08:41

Anexo faltante

“É impossível funk e música clássica se juntar”, eles disseram. Mas a música, essa danada, rompe as barreiras do impossível. Três moleques da Grota de Niterói, no estado do Rio de Janeiro, juntaram seu conhecimento de música clássica e decidiram dar uma versão erudita para os sucessos do momento do funk carioca. O Portal KondZilla trocou uma ideia com essa galera pra entender onde música clássica e música erudita se encontram na “Batida clássica”. Se liga no resultado.

https://www.youtube.com/channel/UC5GhpCCGaifjie7dpTH90cw

Posted by Negro G da Grota on Tuesday, December 4, 2018

“Nosso primeiro vídeo foi da música “Tu Tá na Gaiola“, do MC Kevin o Chris, que tá estourada, tocando em tudo quanto é lugar”, explicou Gabriel, um dos três garotos do vídeo, durante entrevista por telefone com o Portal KondZilla . “Ensaiamos e apresentamos pra uma galera, que adorou, achou maneiro demais. Daí decidimos gravar o vídeo e soltar no Facebook. Foi algo bem surpreendente, não esperávamos toda essa repercussão”.

Quando Gabriel fala de “repercussão”, ele quer dizer mais de 1.000.000 (um milhão) de visualizações na rede social mais famosa do mundo. A parada deu tão certo que os moleques decidiram criar um canal no YouTube chamado “Batida Clássica” e produzir mais vídeos nessa pegada. Aliás, essa mistura de funk com instrumentos da música clássica não é bem uma novidade, sejamos justos. Inclusive, uma campanha de 2013 recriou grandes sucessos históricos do funk carioca.

Jorge Gerônimo Junior, Luiz Carlos e Gabriel Pereira da Silva são amigos de infância e fazem parte da Orquestra de Cordas da Grota, um projeto social que ensina música clássica pra comunidade da Grota, em Niterói. E daí pra misturar esse conhecimento com funk foi coisa rápida.

“Nós três nos conhecemos desde moleque, empinamos pipa juntos, zoamos juntos”, explica. “Desde criança também temos contato com o projeto Cordas da Grota, a música clássica foi a nossa base na música, foi com ela que aprendemos tudo dessa arte”. Nos vídeos, Jorge é o responsável pelo violino, Luiz Carlos fica com o violoncelo e Gabriel com o contrabaixo acústico.

Mesmo parecendo culturas bem distantes, os jovens conseguiram mostrar que mexer com arte é algo que transcende o raciocínio lógico e a mistura caiu no gosto da galera de primeira. Dos três jovens, Gabriel é único que tem um emprego fixo – trabalha como auxiliar de chaveiro no Centro de Niterói. Os outros dois jovens conseguem uma grana, inclusive, tocando na rua ou fazendo alguns bicos. Os ensaios na orquestram rolam todos os sábados.

Encantados com tudo que vem rolando, os três jovens já sonham em viver de música, seja ela clássica ou popular. “Sonhamos em viver de arte, é claro. É o que a gente ama fazer.”

Acompanhe o trabalho do trio pelas redes: Youtube

Leia também:
A dança “Passinho” vira patrimônio cultural do Rio
Tapa no vento é o passinho do momento

O quê você
procura?