Festival Streetopia promove inclusão através do esporte

Autor: Wenderson França

Fotos por: Reprodução // Redes Sociais

Esporte | 19/08/2019 14:58:00

Anexo faltante

Aconteceu esse final de semana, 17 e 18 de agosto, a 2ª edição do STREETOPIA, no Rooftop do Edifício Garagem do São Paulo EXPO. Buscando resgatar a cultura do basquete na cidade, o festival envolveu a comunidade do basquete, desde de jogadores e fãs, até a população que busca lazer para o final de semana. O evento foi regado de música, disputas de dança, arte urbana e lógico muito 3X3. Por uma causa social, os ingressos poderiam ser alimentos não perecíveis destinados a fundações carentes. Ainda pensando em fazer o bem, o evento aceitava tênis esportivos destinados a crianças. O Portal KondZilla esteve lá e te conta tudo o que rolou.

Ao todo, eram 3 quadras para contras de 5X5, 3 quadras para contras de 3X3, 13 tabelas, 160 disputas e mais de 18 horas de festival compôs um ambiente ótimo para os loucos por basquete. O público pode acompanhar de pertinho as competições entre atletas amadores dos parques de São Paulo e amistosos da NBA School. Durante o dia inteiro de evento, que iniciou às 9 da manhã e foi até o anoitecer, o que se via eram pessoas de todas as idades, por isso, para melhorar e deixar tudo ainda mais agradável, rolou um espaço com praça de alimentação e recreação.

Com o termômetro na casa dos 28°C, o clima estava agradável para praticar esportes e foi lindo de ver aquele monte de jovem de diversas regiões da cidade reunidos por um esporte que vem conquistando cada vez mais seu espaço em territórios brasileiros. Tudo muito bem pensado para que o público conseguisse chegar o festival sem dor de cabeça, o Streetopia ofereceu micro ônibus gratuitos até o evento.

Um dos idealizadores, Hector Miranda, contou mais da festa. “A prioridade do evento é a inclusão, é o aspecto principal. Os torneios que organizamos são amadores, então os times engajados são de comunidade e também de parques públicos, que são onde residem as pessoas que não tem a oportunidade de jogar em um clube ou algo do gênero em sua grande maioria”.

Experiente no meio do esporte em São Paulo, o jogador Biano esteve nas duas edições do Streetopia e nos mostrou um pouco da importância de um evento como esse, não só para quem já conhece o basquete, mas também para pessoas que sequer sabem algo sobre. “Esse evento é legal porque incentiva as crianças e apresenta o basquete. Diferente do ano passado a estrutura está menor, porém está bem mais cheio”.

E para quem é fã de basquete, Biano contou como encontrar outros jogadores. “A zona leste é um dos lugares mais forte que eu conheço para encontrar o basquete, lá se a galera quiser de segunda a segunda tem quadra pra jogar. Mas ainda não ganha da zona sul, porque a zona sul tem o parque Ibiraquera que a casa do basquete em São Paulo”.

Outro atleta que esteve presente é Wagner Oliveira (Mamute), que foi jogador profissional durante 20 anos de sua vida e treina um dos times participantes do torneio. “Atualmente eventos como o Streetopia é importante não só pelo basquete mas também pela inclusão social”. Ele explicou que “o festival reúne as tribos do basquete 3X3, 5X5 e massifica o esporte ainda mais”. Ações como essa, fortalecem o basquete brasileiro fazendo com que novos jogadores possam ganhar seu espaço na cena.

Competição de break dance


Sinistro Flava campeão da batalha de breaking Streetopia EP.2

Além da estrutura monstruosa montada para as competições de basquete, o evento contou ainda com uma competição de break dance. O embaixador e jurado das danças que estava ali, avaliando a galera, era ninguém menos que Bboy Pelezinho, campeão mundial de Break Dance. Ao lado do dançarino no júri estava ainda Bgirl bebeia a 7 anos na cultura ela faz parte de dois grupos de dança o Hotstepperbgirls e Metanoiacrew. E também Andrezinho Andrade um dos discípulos do ritmo em território brasileiro.

O júri avaliavam os seguintes quesitos: musicalidade, originalidade, performance e presença. Os b-boy e as b-girls se inscreveram durante o evento para competir e passaram por eliminatórias até chegar às finais onde estavam concorrendo ao prêmio de um ano grátis na academia de dança Competition, além do troféu de melhor dançarino de Break do Streetopia 2019.


Jess Nascimento, campeã All Styles Streetopia EP.2

A avaliadora Ana Roberta (conhecida como bgirl Bebéia) conversou com o Portal KondZilla e falou sobre a união do basquete com o break. “É uma cultura só, independente se é esporte ou dança. Eu acredito que temos que unir mais e ter mais eventos como esse mostrando as meninas dançando, jogando basquete sem distinção, é super importante isso que está acontecendo hoje”. Ela ainda fez um panorama do evento misturando dança e esporte. “Eu to achando muito legal porque a galera está indo pra lá e pra cá, não sabe aonde fica, está da hora de mais essa ligação entre o basquete e a dança em um evento só”.

Iniciativa como a da organização do festival de basquete Streetopia são de extrema importância. O esporte educa, inclui e muda a vida de muitas pessoas. Por isso, foi ótimo acompanhar um dia tão agradável e familiar em prol do esporte. Ficamos agora no aguardo da terceira edição do Streetopia em 2020.

Acompanhe Streetopia nas redes sociais: Instagram // Facebook

ASSINE A NEWSLETTER

NÃO PERCA NENHUMA NOVIDADE DO NOVO PORTAL KONDZILLA!

O quê você
procura?