Em entrevista ELLE Brasil, Konrad Dantas diz que sonha em ver a cultura da favela ganhar o mundo
Créditos: Divulgação/Pedro Dimitrow
- Por Redação

Em entrevista ELLE Brasil, Konrad Dantas diz que sonha em ver a cultura da favela ganhar o mundo

Ao infinito e além! Comemorando 10 anos na cena do funk paulista, Konrad Dantas colou em entrevista na Elle Brasil e contou sobre os planos futuros. O criador da KondZilla quer expandir suas operações para além da música e videoclipes. Cola no Portal KondZilla e pega a visão. 

Com 10 anos na cena do funk paulista, o que não falta é história para contar. Foi isso que Konrad Dantas, CEO da KondZilla fez em entrevista para a Elle Brasil. O empresário contou que sonha em ver a cultura da favela ganhar o mundo. 

Além disso, Kond relembrou a cena do funk paulista dez anos atrás, o lugar que acredita que a KondZilla ocupou na explosão do gênero, e reflete sobre a relação entre marcas e artistas da periferia.

“Fui experimentando, fazendo vários vídeos. Meu investimento foi em videoclipe, e eu consegui um espaço no segmento do funk porque não tinha ninguém fazendo videoclipe em São Paulo. Eu era muito procurado. Lembro que na época o artista com o cachê mais caro de São Paulo era o que tivesse feito o último clipe comigo”, disse Konrad sobre como a empresa se tornou tão conhecida pelos vídeos de funk. 

No começo, Konrad não tinha um escritório próprio para receber os clientes, e levava todos para a sua casa. “Lá atrás, em 2011, quando eu não tinha escritório ainda, recebia os meus clientes no meu quarto. Eles sentavam na minha cama. Morava em um apartamento de um conjunto habitacional de, sei lá, 40 m2. Falava: “Caramba, queria um dia poder receber essa galera no meu escritório, numa empresa”. E fui trabalhando para isso. Na minha cabeça, eles mereciam, como mercado”, contou.

Atualmente a empresa completou 10 como o maior canal de funk do YouTube do mundo e o quarto maior canal de música do planeta, com mais de 64 milhões de inscritos e 35 bilhões de visualizações. 

Além disso, com a série de ficção ‘Sintonia’ lançada em 2019, se tornou o produto nacional mais assistido da Netflix naquele ano e ganha segunda temporada ainda em 2021.  E não parou por aí: “A gente está fazendo dois programas de TV, dois documentários e duas séries de ficção. Um programa de TV é o HERvolution, e o outro a gente vai anunciar em breve. Os dois documentários, um a gente já divulgou, que é o The beat diaspora, que a gente está fazendo em coprodução com a My Mama para o YouTube Originals”, afirmou o empresário.

Para ter acesso à toda entrevista do Konrad à Elle Brasil, basta acessar o site da Revista, que está disponível completa para assinantes.

Tags relacionadas:

Notícias

Funk