Batidão romântico é a nova maneira de falar de amor

Autor: Guilherme Lucio da Rocha

Musica | 29/01/2019 18:38:40

Anexo faltante

Dentre os diversos ritmos de periferia, o funk é um estilo musical conhecido pelas suas letras, em geral, festivas e pra cima. Mas nem só de festa e farra viverá o ser humano. Dentro do nosso berço cultural musical, existem vertentes que falam de amor da forma mais pura, muitas vezes aquele amor de relacionamento. Se antes, lá nos anos 90 e 2000, o funk melody era o preferido quando o assunto era falar de amor, hoje o ritmo que arrebenta corações é o batidão romântico, uma nova vertente dentro do bregafunk. O Portal KondZilla vai te mostrar um pouco sobre como o bregafunk e o batidão romântico vem invadindo o Brasil.

https://www.youtube.com/watch?v=4ahwpSJV3_s

Se você não tá ligado, Recife é a capital do brega e é de lá que saiu seu maior expoente: Reginaldo Rossi. O ritmo brega é conhecido pelas suas letras que falam de amor de uma forma bem melosa e brega – o nome não é à toa, diz aí. Como explicado nesta série de reportagens, o brega funk nasceu da oportunidade de MCs pernambucanos de se mostrarem para um mercado que antes era focado quase que exclusivamente no brega.

De uns dois anos pra cá, o bregafunk ganhou amplitude nacional, com nomes como MC Troia, MC Loma e as Gêmeas Lacração, MC Bruninho e MC Rhuanzinho. Uma das características que vem chamando a atenção no bregafunk é sua pegada romântica – o que ganhou o nome de “batidão romântico”. Casos de músicas como “Jogo do Amor” e “Você Me Conquistou”, do MC Bruninho, “Sou Favela” e “Dá Uma Chance”, do Ruanzinho, que alcançaram milhões de visualizações no YouTube e entraram nas paradas de sucessos nas plataformas de streaming. Sem esquecer do sucesso absoluto do verão de 2018 de Aldair Playboy com “Amor Falso“.

O batidão romântico conquistou muita gente além das fronteiras do Nordeste vindo a chamar a atenção de diversos funkeiros e produtores do eixo Rio e São Paulo. Nesse intercâmbio, podemos destacar “Tô Gostando Tanto de Você“, música do MC Don Juan que contou com a produção do carioca DJ Yuri Martins, e “A Distância Tá Maltratando“, parceria do carioca MC G15 e do MC Bruninho, que contou com a produção de dois mestres do bregafunk: DJ DG e Batidão Stronda.

O amor, esse sentimento universal, sempre esteve presente na música e óbvio que no funk não seria diferente. Uma das primeiras vertentes a ser conhecido por falar de amor foi o funk melody, lá entre o final dos anos 1990 e começo dos anos 2000. Inspirados em Stevie B e outros nomes americanos, funkeiros como MC Marcinho, Claudinho e Buchecha e outros, conquistaram o público com seus romances cantados.

Podemos sugerir que com o passar do tempo, o funk melody foi perdendo espaço para outras vertentes, como o funk proibidão no Rio e o surgimento do funk ostentação em São Paulo no final dos anos 2000. No entanto, ele nunca esteve ‘morto’, pois volta e meia surgem músicas de sucesso que utilizam dessa pegada mais melosa.

Saindo do nordeste e invadindo o Brasil, o bregafunk coloca novamente no mapa da música o tema romântico. Se em 2018, diversos nomes e músicas da cena pernambucana foram febre em todo o país, dá pra se esperar que em 2019 não será muito diferente.

O quê você
procura?