Esporte

Liga de Quebrada reúne mais de 300 times da Zona Sul de São Paulo

01.01.2022 | Por: Rayne Oliveira

Você que tem um time de futebol ou futsal e se garante no interclasse e nos jogos do seu bairro, sabia que rola de domingo um campeonato de quebrada na zona sul chamado Liga de Quebrada, o qual você pode encostar?  No último domingo (12), o Portal KondZilla foi conhecer esse evento e conversar com o fundador do projeto, Thiago Santos. Então, cola aqui com a gente e depois leva seu bonde pra jogar!

Cria do Capão Redondo, zona sul de São Paulo, Thiago de Oliveira criou a Liga quando tinha apenas 17 anos, em 2018. A Liga é um campeonato amador de futsal e de fut7 que reúne cerca de 300 times da zona sul paulista para competir na quebrada. De acordo com o fundador, tudo começou com por causa do gosto por eventos esportivos e a motivação de ajudar tantos jovens que vivem na mesma quebrada. “Sempre gostei de eventos e comecei fazendo eventos de Fut7 e futsal, juntando uma boa quantidade de times. Os participantes foram gostando da organização da competição e com isso foi surgindo aos poucos a ideia da Liga”, conta Thiago.

Thiago Oliveira, criador da Liga de Quebrada

O criador do torneio ainda comenta que sempre teve em mente desenvolver algo que pudesse ajudar os jovens do Capão. Além de ocupar o tempo livre de adolescentes e jovens, o esporte pode ser uma forma de fazer uma troca de vivências com pessoas de muitos lugares. “Socializar e conhecer outras pessoas, culturas e histórias traz para os jovens uma outra visão de mundo. Além disso, o tempo que eles poderia, estar fazendo algo de errado, eles estão aqui, jogando e tendo um momento de lazer’’, encerra.

Para conhecer mais da Liga de Quebrada, o Portal KondZilla encostou na quadra do Jardim Sabará no CDC (Clube da Comunidade) Manacá. Foi uma celebração de final de ano, e por isso é importante lembrar que as disputas ocorrem de janeiro a novembro promovendo o esporte e lazer de jovens da periferia.

Parma M.D.M Futsal

O clima estava propício para uma resenha futebolística com muito sol, daquele jeitão que a gente gosta! O evento reuniu a presença de familiares, amigos e crianças para assistir as partidas. As camisas com o nome representando cada equipe, clássico de times de quebrada, não ficaram de fora. E claro, muitos depoimentos e comentários sobre a importância daquele espaço ocupado.

“Foi minha primeira vez participando da competição. Foi uma experiência incrível, a gente conhece pessoas, faz amizades e vai abrindo portas, o que é muito importante”, comenta Richard Diniz, 23 anos, morador do Morro da Macumba e camisa 10 do Parma M.D.M Futsal. 

Treinador da equipe Família Soul, Wilker Carvalho, 31 anos, morador do Jardim Nakamura, também participou do evento pela primeira vez neste ano. “Para a comunidade isso é muito bom, pois evoluímos, conseguimos conhecer outras pessoas e tornar a nossa comunidade melhor. Um abraça o outro, sendo algo muito maior do que somente um esporte ou um campeonato’’, comenta ele.

Como funciona?

Para participar basta ser da zona sul, ter um time e se cadastrar para competir por meio do aplicativo da Liga de Quebrada, o qual está disponível para android e IOS no site da Liga. Nele você assina pacotes mensais para poder marcar seus jogos como o de um mês no valor de R$19 para se inscrever em futsal e R$25,99 para fut7. Após efetuar a escolha do plano que permite reservar os espaços para competir, é só decidir entre enfrentar os times que já estão lá cadastrados na liga ou fazer o convite para uma equipe também se inscrever.

A garantia de acesso ao esporte é um poderoso instrumento de inclusão social. O importante é que no final o placar seja vitorioso não somente dentro do jogo, mas fora dele também. Se você ficou interessado, para conhecer mais sobre a liga ou até mesmo reunir seu time para participar, acesse o Instagram @ligadequebrada e fique esperto porque em janeiro a liga está de volta.  

PUBLICIDADE Flowers

Veja também

PUBLICIDADE Flowers
ARTE E CULTURA MÚSICA MODA EDUCAÇÃO ESPORTE EVENTOS EMPREENDA ENTRETENIMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR TECNOLOGIA