Música

Instrumentos eruditos e músicas periféricas: conheça a Funk Orquestra

14.09.2022 | Por: Karine Ferreira

A ideia surgiu lá nos anos 90, no começo do movimento funk, mas só pôde ser idealizada em 2018. O sonho de uma orquestra que tocasse funk veio da vontade de Fabio Tabach de levar o estilo para dentro do Teatro Municipal, para revelar como o gênero também é arte e cultura.

O Fabio Tabach já era amigo de longa data de Phabyo DJ – com quem também conduz a 2FAb DJs – e eles decidiram iniciar o projeto. Logo encontraram o maestro e violinista Eder Paolozzi, que se encaixou perfeitamente com a ideia e permitiu que o plano ganhasse vida.

A orquestra que surgiu na comunidade do Rio das Pedras, no Rio de Janeiro, e conta com uma base fixa mínima de 18 pessoas – podendo chegar até 50 instrumentistas. Eder conta que já trabalhava com uma orquestra jovem, mas que a seleção de membros que participarão também acontece pelas pessoas que buscam a orquestra.

“A maioria vem de projetos sociais, acredito que 90%, e a gente faz um mix, a diversidade e a representatividade é a nossa prioridade”, revela o maestro. Tabach completa contando que independentemente do lugar de onde a pessoa vem, o importante é ser funkeiro, gostar de funk e que viva a cultura, além de estudar um instrumento erudito.

Uma das principais apresentações do grupo rolou em 2019, no Palco Sunset no Rock in Rio, convidando Fernanda Abreu, Ludmilla e Buchecha. Nesse dia, a orquestra realizou uma homenagem aos 30 anos do funk, relembrando as diversas fases e hits do estilo, fazendo com que o palco lotasse às 15h da tarde do festival.

Nem a gente esperava, tínhamos uma expectativa muito grande, mas também ficávamos pensando se a galera chegaria junto às 15h da tarde, tinha muita gente se posicionando já no Palco Mundo. O bacana do show foi que a galera foi juntando desde a abertura, e já no primeiro medley, quando olhamos já estava aquela multidão cantando todas as músicas, vibrando, sorrindo, com uma energia positiva. Até a gente se surpreendeu”, contou Phabyo DJ sobre a edição de 2019.

Além da apresentação histórica no Rock in Rio de 2019, a orquestra também se apresentou no Rock in Rio Lisboa, levando um verdadeiro baile para os portugueses, no Festival de Inverno Rio na Marina da Glória e não deixou de marcar presença no Rock in Rio deste ano, se apresentando no Espaço Favela, no primeiro final de semana do evento.

O trio ainda contou que vê o funk como uma ferramenta importante para o pertencimento, e que com a Funk Orquestra é possível ocupar espaços e preencher lugares que a elite normalmente já ocupa. “Queremos ocupar espaço públicos com a galera da periferia, o Teatro Municipal também é nosso, é da música clássica brasileira e é do funk também”, finaliza Tabach.

PUBLICIDADE Flowers

Veja também

PUBLICIDADE Flowers
ARTE E CULTURA MÚSICA MODA EDUCAÇÃO ESPORTE EVENTOS EMPREENDA ENTRETENIMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR TECNOLOGIA