Comportamento

Edi Rock denuncia racismo na música ‘Vida Negras’

15.06.2020 | Por: Gabriela Ferreira

No dia 18 de maio, o adolescente João Pedro foi morto durante uma operação policial no Complexo do Salgueiro, no Rio de Janeiro. Nessa mesma semana, Edi Rock estava finalizando a música “Vidas Negras”, um manifesto pela vida da população negra, denunciando o racismo.

No som, Edi Rock, que se destacou no rap no final dos anos 1980 junto ao grupo Racionais MCs, clama “Vidas Negras Importam”. A música, além de ser um manifesto contra a violência contra a população negra, ainda é nome de um movimento que surgiu em 2013. O Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) luta pelo fim da violência policial contra negros.

A música abre com a reportagem citando o caso de João Pedro. O jovem de apenas 14 anos foi baleado em casa durante uma ação da polícia. Depois, o menino foi resgatado por um helicóptero e só foi encontrado na manhã do dia seguinte, no Instituto Médico Legal (IML) de São Gonçalo.

Além de retratar o caso de João Pedro, o videoclipe da faixa também relembra outros casos de violência como: Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro alvejada em 2018; Ágatha Felix, de apenas 8 anos, que morreu em setembro do ano passado ao ser baleada enquanto estava dentro de uma Kombi, e várias outras pessoas que perderam a vida. O vídeo ainda mostra algumas imagens dos protestos que aconteceram nos Estados Unidos depois da morte de George Floyd, um homem negro de 46 anos que morreu após um policial branco ficar ajoelhado no pescoço dele por quase nove minutos.

A música faz parte do terceiro disco de Edi Rock, “Origens – Parte 2”, sendo esse a continuidade do “Origens“, lançado pelo rapper em 2019. O novo trabalho ainda não tem data de lançamento e todo o dinheiro ganho com “Vidas Negras” vai para a Central Única das Favelas, a Cufa, responsável por ajudar favelados ao redor do Brasil.

Rap contra a violência

Edi Rock não foi o único, outros artistas se manifestaram sobre a violência e o racismo através de música nos últimos dias. Recentemente, MC Cabelinho lançou a música “Maré“, em que retrata a realidade de muitos dentro das favelas: desigualdade, tráfico e racismo. Em um post no Instagram, Cabelinho se manifestou falando sobre o som e o momento que estamos vivendo: “A guerra deles [Estado] não é contra bandido, é contra nosso povo. Pouco importa se tu tá com um fuzil na mão ou não: Ágatha, João Pedro, George Floyd. A guerra deles é contra preto, pobre e favelado. Já passou da hora de darmos um basta”, escreveu ele.

O rapper canadense Dax também lançou uma música sobre o assunto. “Black Lives Matter” fala sobre como o racismo é algo que a sociedade ensina pros outros e aborda a violência policial.

Já a dupla DaBaby e Roddy Rich, dois rappers que tem chamado atenção nos últimos tempos, alcançaram o top da parada na Billboard em maio com a música “Rockstar”. Eles aproveitaram a visibilidade da música e lançaram “Rockstar (Remix Black Lives Matter)”, falando sobre violência policial.

Leia também

Vidas Negras Importam: o que está acontecendo nos Estados Unidos

PUBLICIDADE Flowers

Veja também

PUBLICIDADE Flowers
ARTE E CULTURA MÚSICA MODA EDUCAÇÃO ESPORTE EVENTOS EMPREENDA ENTRETENIMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR TECNOLOGIA