A tabacaria é o novo rolê de quebrada

Comportamento 13/02/2019

Fotos por: Jeferson Delgado // Portal KondZilla

Entre goles e fumaça, as tabacarias viraram o novo point para a galera da quebrada, principalmente naquele dia que você tá em dúvida se vai pro baile ou não, tá ligado? No melhor estilo música ao vivo com DJ animando a pista, esses estabelecimentos construíram seu negócio e estão no auge na cena do funk. Chega mais que o Portal KondZilla te conta sobre esse rolê.

A galera da quebrada sempre costuma criar e recriar novos rolês, desde trocar uma ideia na porta de casa tomando uma dose, até ambientes fechados que representam o funk, mas não são exatamente um baile. As famosas tabacarias são um exemplo desse novo lugar, que não são tão novo assim, já que o narguilé em si foi algo que somou na cultura do funk de um tempo pra cá.


Arrisco a dizer que em meados de 2014, o narguilé já estava ganhando destaque no funk, sendo até temas para algumas músicas lançadas na época, tipo “Na Onda Do Narguilé”, do Menor Lorin, que virou uma tendência dentro do rolê do funk. Com o passar do tempo, o mercado do narguilé foi crescendo, o alumínio comum que servia de base dos carvões ganhou uma nova versão mais resistente e feita exatamente para montar o rosh, novos acessórios foram surgindo e mais músicas falando sobre narguilé foram brotando, como “Social, Narga e Piscina”, do MC MM, que somou ainda mais para o crescimento dessa cultura no funk.

As franquias de tabacarias chegaram com investimento forte em 2016. O início desse tipo de estabelecimento foi bem ao pé da letra como diz o nome, e só vendia produtos relacionados ao tabaco, como por exemplo cigarros, charutos, cachimbos, isqueiros, entre outros acessórios, muitas vezes esses comércios ficavam localizados em shoppings centers espalhados pela cidade ou em lojas de conveniências de postos de gasolina, mas como tudo no funk vai ganhando seus métodos, com as tabacarias não foi diferente.

As tabacarias nas quebradas foram chegando aos poucos. A maioria com a mesma estética e aparência, bancos feitos de pallets de madeira, sempre formando um quadrado entre si para rolar aquela acomodação da galera na hora de fumar.


Foto por: Reprodução // Facebook

Com o passar dos anos, tudo nas tabacarias foram se aprimorando e ganhando novidades para o ambiente se tornar mais agradável para a curtição da galera. Além disso, algumas tabacarias foram trazendo atrações como MCs, grupos de pagode e até DJs que agitam a galera nos intervalos ou a noite inteira na pista. A Tabacaria Gordo Drinks é um exemplo disso. “Um método que a gente usa para atrair público é divulgar bastante e trazer novas atrações porque o pessoal gosta de novidade. Hoje, eu prefiro trazer DJs do que MCs por que agora não tenho espaço para trazer essa atração, mas DJ e grupo de pagode já atrai bastante gente” conta Pedro Schlepfer, 27, um dos sócios da tabacaria.


Pedro Schlepfer, sócio do gordo drinks, tabacaria localizada no campo limpo – ZS

“Lembro que quando surgiu uma tabacaria no meu bairro foi o hype, todo mundo queria encostar porque o único lugar que vendia as paradas na época era na conveniência do posto, não existia tabacaria,” diz Matheus Araújo, 23 anos, consumidor de narguilé.



Matheus Araujo, 23 anos, consumidor de narguilé

A real é que apesar do momento hype das tabacarias, o foco é a galera curtir com os amigos sem precisar ir ao baile e o desejo de curtir com os amigos vem desde quem criou até quem frequenta. “A gente abriu no intuito de criar um espaço onde nossos amigos se sentissem bem, como uma forma de reunir a galera e ganhar dinheiro ao mesmo tempo”, diz Pedro. “No começo eu e meu sócio não tínhamos grana pra investir, então começamos em um espaço pequeno, mas a meta é ampliar.”

Entre o baile e a tabacaria, o jovem de periferia busca sempre diversão sem precisar ir ao centro ou pagar caro pra isso, já as tabacarias sempre buscam evolução para que isso continue por muito e quem sabe não surja um novo rolê no universo funk?!

Comentários