A foto de um ovo é a foto mais curtida do Instagram

Curiosidade 14/01/2019

A internet, meus amigos e amigas, é um lugar muito divertido. Neste domingo, 13 de janeiro, a foto de um ovo se tornou a foto mais curtida da história do Instagram. Isso mesmo, a simples foto de um ovo, normal, daqueles laranjinhos e pá, alcançou a marca de 32 mi de likes, ultrapassando a foto da filha de Kylie Jenner, que tinha mais de 18mi de likes. O Portal KondZilla vai (tentar) te explicar um pouco melhor essa história. Se liga só.

View this post on Instagram

Let’s set a world record together and get the most liked post on Instagram. Beating the current world record held by Kylie Jenner (18 million)! We got this 🙌 #LikeTheEgg #EggSoldiers #EggGang

A post shared by EGG GANG 🌍 (@world_record_egg) on

Atualmente, o Instagram é uma das principais redes sociais do mundo (convenhamos que o Facebook tá ficando pra trás) e os likes por lá são tipo o curtir do Face. Os influencers costumam medir sua popularidade através do número de seguidores e também dos likes, pois são eles que dão uma medida de quão engajado seu público é.

View this post on Instagram

stormi webster 👼🏽

A post shared by Kylie (@kyliejenner) on

Só que nem tudo na internet tem uma explicação lógica. Até a tarde deste domingo (13), a foto mais curtida do Instagram era da filha da empresária Kylie Jenner, que tinha acumulado 18 milhões de curtidas na plataforma. Até que surgiu a conta “Egg Gang“, criada com a função de ter a postagem mais curtida da rede social (sim, a conta só tem UMA postagem). E como pra internet missão dada é missão cumprida, desde 4 de janeiro geral passou a soltar o dedo no like e, até a publicação dessa matéria, a foto já tinha 32 milhões de likes.

View this post on Instagram

Take that little egg

A post shared by Kylie (@kyliejenner) on

“Ultrapassada” pela foto do ovo, Kylie foi ao Instagram e publicou um vídeo tirando onda da situação – já que era o que restava. Sem dúvidas, a internet tem poderes inimagináveis. Quando algo viraliza, já era. A pergunta que fica agora é: até onde vai esse poder?

Autor:
Redação

Comentários