"Saí da prisão querendo cursar Direito", conta Rodrigo Esteves

Autor: Redação

Fotos por: Acervo Pessoal

Conte aqui sua historia | 04/10/2019 17:00:29

Anexo faltante

Mais uma sexta-feira com com mais uma história inspiradora pra você na série “Conte aqui sua história“. Rodrigo Esteves nos contou sobre como superou suas dificuldades e conseguiu dar um jeito na vida, e hoje está realizando o sonho de trabalhar com Direito.

“Meu nome é Rodrigo Esteves dos Santos, tenho 38 anos, nasci e cresci na Zona Leste de São Paulo/SP, Cohab 1 de Arthur Alvim. Acredito que minha história pode ser considerada como um exemplo de superação, apesar de ainda ter muitos obstáculos para superar.

Perdi meu pai quando tinha 12 anos. Éramos em 3 irmãos e minha mãe. A partir daí muitas coisas aconteceram.

Ganhei muita grana praticando atividades ilícitas. De 2000 a 2002 conquistei muitas coisas materiais: R1, Cherokee, Golf, RR, apartamentos, casas etc. Logo em janeiro de 2003, quando eu tinha 22 anos, fui preso e cumpri pena por seis anos, dos quais três foram em cárcere privado.

Saí meio atrapalhado, mas enquanto preso sempre cultivei o pensamento de estudar, já que havia parado na 7ª série do ensino fundamental com o intuito de fazer dinheiro.

Daí pra frente fiz muitas coisas, lícitas e ilícitas, até que em 2009, após concluir o ensino fundamental e médio por supletivo, ingressei no ensino superior.

O curso escolhido? Direito! Quis aprender a me defender por meio das Leis. Decidi largar os embates, às vezes até físicos, para lutar com as armas socialmente aceitas.

Contudo, uma semana antes de começar a estudar, meu irmão mais velho, Rafael, partiu, com 33 anos de idade. Ele foi, da maneira bruta dele, meu segundo pai. Ele me ensinou muito!


Rodrigo e o irmão Rafael

Segui adiante, comecei a estudar, mas ainda sofria muito com a partida do meu irmão. Passei o primeiro semestre todinho chapando o coco no bar.

Resultado? Reprovei em todas as matérias. Achei que era burro, mas aí decidi mudar isso. Passei a estudar, estudar muito, então as notas melhoraram e não reprovei em mais nada até o fim do 4º semestre.

Contudo, circunstâncias da vida me fizeram abandonar os estudos em 2011, além de que o medo do exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) me causava pânico. Julgava-me incapaz de passar nesse exame. Desisti e fiz várias outras coisas: curso de pizzaiolo, sorveteiro, salgadeiro, logística etc. Montei um pequeno comércio de alimentos numa garagem da Cohab 1, mas eu não me sentia feliz.

Em dado momento percebi que o que eu queria mesmo era ser advogado. Passei alguns dias meditando sobre isso, foi então que decidi voltar a estudar. Retornei para o curso de Direito. Comecei do zero, desde o 1º semestre.

Estudei muuuito, até que fui aprovado, de primeira, no exame da OAB quando eu ainda estava no 9º semestre do curso. Em setembro, completei um ano como advogado.

Hoje eu atuo na área penal e gosto muito, mas pretendo atuar em algo mais leve, e a área condominial me parece ser o caminho, mas infelizmente o preconceito com meu passado tem fechado as portas nessa área.

Enfim, acredito que acabei superando as armadilhas que cercam a todos, principalmente àqueles que são criados na periferia.

Antes de ser preso, conquistei muita coisa na ilegalidade. E é por isso que acredito ter me superado, pois renunciei aos ganhos vindos do crime para dedicar-me a uma vida que, a meu ver, não resume-se apenas à ganhos materiais, mas principalmente à construção de algo sólido e frutífero – pra mim, pra minha família e pra o que faço pela sociedade.”

E aí, se identificou com a história do Rodrigo? Aproveite para enviar a sua história de vida também no e-mail conteaquisuahistoria@kondzilla.com

ASSINE A NEWSLETTER

NÃO PERCA NENHUMA NOVIDADE DO NOVO PORTAL KONDZILLA!

O quê você
procura?