"O funk me ajudou a não me envolver com nada de errado", diz MC FF

Autor: Redação

Fotos por: Reprodução // Redes Sociais

Conte aqui sua historia | 10/01/2020 12:36:08

Hoje no projeto Conte Aqui Sua História, quem se apresenta é o Fabricio Felix, um jovem da maior favela de Brasília que está ralando para ser cantor de funk. Chega mais.

“Nascido em Brasília, me chamo Fabrício Felix, tenho 22 anos e moro na favela do Sol Nascente, em Brasília. Sou um sonhador, comecei a compôr funk no ensino médio, mas nunca consegui ninguém pra me ajudar. Tenho mais de 13 letras feitas e sonho um dia estourar.


Fabricio e a mãe

Fui criado pela minha mãe e meu pai, mas eles logo se separaram. Meu pai se afundou no alcoolismo e foi morar com a minha vó. Passei por muita coisa por causa da doença do meu pai. Mas eles sempre foram minhas inspirações. Já comemos só arroz e feijão, mas sempre fui grato pelo pão de cada dia.

Quem me ajuda a escrever é a minha esposa Mikelly. Namoro com ela desde que eu tinha 16 anos e ela 13. Meu pseudônimo no funk é MC FF. Quero poder ajudar minha mãe e meu pai com o dinheiro do funk.

O funk mudou minha vida e muda a vida de todos que o amam, que vivem a vida cantando, escrevendo, motivando os outros. O funk mostra que a favela tem seus direitos independente da classe social que vive. Os preconceitos e traumas não podem brecar sua caminhada. Viva porque o sonho é assim. Quanto mais paciência e foco melhor.


Fabricio e Mikelly

Nunca reclamei de nada na vida, nem das goteiras de casa pois muitas pessoas não têm onde morar, nem do meu abalo psicológico de quando criança por causa do pai alcoólatra. Ele nunca foi uma pessoa ruim, mas muitos lares são destruídos por causa da droga.

Moro no Sol Nascente, a maior favela de Brasília, onde rola muita coisa errada, mas nem por isso me deixei levar. O funk me ajudou a não me envolver com nada de errado. Hoje trabalho e me esforço pra realizar meu sonho de ser MC. Que isso sirva de exemplo para todos”.

Quer se ver aqui na KondZilla? Manda sua história pra gente no e-mail conteaquisuahistoria@kondzilla.com com fotos, suas redes sociais e número de celular pra gente entrar em contato.

O quê você
procura?