MC Brotinho superou os perrengues e sonha em estourar no funk

Autor: Redação

Fotos por: Acervo Pessoal

Histórias que inspiram | 08/11/2019 12:34:33

Anexo faltante

Sexta-feira já é de praxe o Portal KondZilla chegar com uma história pra dar um gás em quem tá precisando de uma inspiração. Hoje vamos falar sobre o Alex silva, mais conhecido como MC Brotinho. Vem sacar o corre do mano.

“Oi, me chamo Alex Mendes da Silva. Sou de Pernambuco, mas atualmente estou morando no bairro da Liberdade, em São Paulo. Tenho 22 anos e queria contar minha história pra vocês.

Bom, sou filho de Maria Mendes, mãe de 8 filhos solteira. Meu pai me abandonou quando minha mãe ainda estava grávida de 5 meses. Passei muito sufoco, sem uma figura de um pai presente e em quem eu me inspirasse, mas fui vivendo e aprendendo com a vida.

Quando eu era menor furtava bicicleta, dinheiro, relógio. Isso porque eu queria ter, mais não tinha dinheiro para comprar, andava com mal amizades também. Parei com nove anos, veio na minha cabeça o que era certo e o que era errado porque minha mãe era evangélica, e eu comecei a perceber que eu tava errado. Como eu era criança, eu não pensava se isso era errado, eu não fazia por maldade, só fazia pra ter. Teve vezes que passei fome, então como eu ia conseguir ter uma bicicleta se eu nem trabalhava?

Nisso eu parei de furtar, e comecei a escrever, com uns nove pra dez anos. Na escola eu sempre gostei de língua portuguesa e de escrever poema, que foi como eu comecei a fazer minhas músicas. Chegou num ponto que eu tinha que andar com um caderno pra lá e pra cá pra sempre anotar meus sentimentos, minhas ideias ou as situações que iam acontecendo na minha vida.

Em Pernambuco nessa época não tinha funk, era mais forró, mas aí surgiu o MC Leozinho, que na verdade era mais bregafunk do que funk, mas gostei muito dele. Eu nunca curti muito bregafunk, mas como sou do mesmo estado que eles, me orgulho de ver o brega crescendo cada vez mais. Espero que seja cada vez maior!

 

Depois do Leozinho, conheci o MC Guimê, MC Lon e MC Daleste, que são minhas referências até hoje. Teve um tempo da minha vida que eu só ouvia funk e nada mais, mas fui abrindo minha cabeça pra outras músicas pra procurar mais inspirações e ideias.

O funk significa tudo pra mim. Acompanhei vários MCs da antiga. Sempre torci pro funk ganhar mais espaço no Brasil e no mundo. Sempre apoiei muito o movimento, compartilhava os vídeos, dava like, comentava, tudo pra ajudar a crescer. A maioria dos MCs tiveram a mesma vida que eu e se eles conseguiram vencer, eu também posso!

Sou de Pernambuco, mas vim para São Paulo em 2018, em busca de um sonho que é ser o MC Brotinho. Sei que é difícil, mas eu também sei que vou conseguir, porque não vou desistir. Hoje eu tô no seguro, mais vou estudar, trabalhar, correr atrás dos meus sonhos e ser feliz!”

Essa foi a história do MC Brotinho. Quer se ver por aqui? Manda pra gente o seu corre no email conteaquisuahistoria@kondzilla.com e não se esqueça de mandar fotos e o número do seu celular!

Leia também:

Larguei o tráfico e sigo no sonho de ser MC, o corre do MC Eric

 

O quê você
procura?