Explicando em detalhes: outubro rosa

Autor: Gabriela Ferreira

Fotos por: Reprodução

Bem Estar | 17/10/2019 10:55:43

Anexo faltante

Outubro é o mês de conscientização e prevenção do câncer de mama, o tipo da doença que mais afeta as mulheres ao redor do mundo. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) previu que em 2019, 60 mil mulheres desenvolveriam a doença. É gente pra caramba. Pensando na quantidade de casos da doença, em 2018, foi sancionada uma lei que oficializou a campanha do Outubro Rosa nos órgãos federais.


Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

O mês da conscientização da doença é celebrado em todo o mundo, e até ano passado, aqui no Brasil, era tudo feito de forma independente. A campanha reúne diversos métodos de chamar atenção pra causa, usando sempre o rosa como tema: iluminação de prédios públicos, palestras, conversas, veiculação de campanhas informativas na mídia, entre outros.

Na gringa, o outubro rosa existe desde a década de 1990 criado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. A fundação que leva o nome da Susan Komen, que morreu de câncer de mama aos 36 anos, foi criada pela irmã mais nova de Susan, Nancy, que acredita que a irmã poderia ter se curado, ou vivido mais, se ela soubesse mais sobre a doença. Pensando em informar as pessoas, ela criou a fundação.

Aqui no Brasil, 70% dos casos de câncer de mama ainda são diagnosticados em estágio avançado. Isso acontece por muitos fatores, como a falta de exames regulares, a dificuldade para marcar uma consulta e a dificuldade de conseguir tratamento. Realmente poucas pessoas entendem sobre a doença.

Em 2018, o Brasil estava na segunda faixa mais alta de países com maior incidência de câncer de mama, somando 62,9 casos a cada 100 mil mulheres. Apesar do dado preocupante, ao mesmo tempo, o país é um dos que têm menos mortes relacionadas ao câncer, sendo 13 óbitos a cada 100 mil mulheres. As informações divulgadas pelo INCA apontam que por mais problemas que a saúde pública tenha, ainda temos muito sucesso em curar as vítimas da doença.

Agora que já falamos da campanha, vamos falar mais sobre a doença.

Sintomas

  • nódulos nos seios ou na axila
  • pele parecida com uma casca de laranja
  • vermelhidão
  • mudança de formato ou tamanho da mama
  • secreção

Grupo de risco

O câncer de mama costuma acontecer em mulheres com mais de 35 anos, mas existem casos em que a doença apareceu em idades inferiores, então vale ficar atenta para alguns sinais que podem influenciar no desenvolvimento da doença:

  • nunca ter amamentado
  • primeira menstruação antes dos 12 anos
  • primeira gravidez após os 30 anos
  • reposição hormonal com remédios

Diagnóstico e Tratamento

Existem várias maneiras de se fazer o diagnóstico, com o toque, raio-x e outras técnicas, mas a mais viável é o autoexame para sentir os nódulos. O diagnóstico pode ser feito pelo SUS e o tratamento também. O INCA listou todas as unidades de saúde de todos os estados do Brasil que atendem pacientes com câncer de mama, você pode conferir pelo link.

Pra quem tem mais ou menos 35 anos, é importante fazer exames, ainda mais aquelas pessoas que têm parentes que tiveram a doença. Ah, e também é importante espalhar a informação, fale com as mulheres que você conhece sobre o câncer de mama. Quanto mais cedo o diagnóstico, mais rápido o tratamento, então não podemos vacilar!

O quê você
procura?