“Eu gaguejava pra caramba e parei porque Deus viu que cantar era o meu sonho”, conheça o MC Menor CH
Créditos: Reprodução
- Por Redação

“Eu gaguejava pra caramba e parei porque Deus viu que cantar era o meu sonho”, conheça o MC Menor CH

No Conte Aqui Sua História de hoje, momento onde você pode aparecer na KondZilla contando sua trajetória de vida, vamos conhecer um MC que está perseguindo o sonho de viver do funk diretamente de Fortaleza no Ceará. Sabemos como é difícil a correria pra virar MC no sudeste, polos do funk, agora imagina no nordeste? Chega mais pra conhecer sobre o MC Menor CH.

“Salve KondZilla! Meu nome é Carlos Henrique de Souza Dias, conhecido como MC Menor CH. Minha história é um pouco triste, mas não deixei de sonhar. Vamos lá, diretamente do Ceará um interior próximo de Fortaleza, bairro Caridade.

Quando tinha meus 10 anos de idade já conhecia o funk conhecendo vário MCs pelas redes sociais e isso que me incentivou. Meu avô trabalhava em uma fazenda nessa época e eu trabalhava com ele. Já com meus 13 anos vim morar com minha família, onde estou hoje.

Eu sou apaixonado pelo funk, só quando eu tinha essa idade eu gaguejava muito pra cantar e eu cantava música gaguejando, eu pensava ‘puta que merda tenho que melhorar a voz’. Até que um dia eu parei de gaguejar, falava certinho e isso eu agradeço muito a Deus. Sou muito fã do MC Alê e do MC Lon, quero levar minha visão nas minhas músicas.

Com 14 anos levei uma queda de moto e minha mãe que trabalhava na cidade teve que parar de trabalhar pra ficar comigo no hospital, eu fiquei triste porque minha vó falou que não era pra sair de casa eu não escutei e levei uma queda. Passei o mês no hospital e aquilo só na minha cabeça. ‘Minha mãe parou de trabalhar pra cuidar de mim mano, tenho que mudar isso minha veio pra casa não conseguiu arrumar mais um trabalho’ e isso me deixou muito triste.

Nessa época eu morava com meus avós e minha mãe, no fim de semana eram muitas pessoas dentro de casa. Meus avós iam pedir esmola na pista e eu não pensei duas vezes antes de ir também, era melhor pedir do que roubar. Pedi esmola na BR 020.

Com meus 15 anos me identifiquei mais no funk, nunca parei de sonhar. Fiz um vídeo com o meu celular em uma casa de madeira e barro. Um ano depois, segui tentando no funk. Já passei fome, não minto porque foi verdade, tá ligado? Já cheguei em casa e só tinha arroz e feijão. Tinha dia que não tinha nada e eu sempre pensando que o mundão ia girar. Fiz uns bicos de show e teve uma vez que fui num evento pedir pros organizadores me deixar cantar e rolou. Eu fiquei super feliz.

Agora estou com 17 anos, minha mãe conseguiu arrumar um novo emprego e graças a Deus tudo na minha vida está dando certo, Deus me deu um dom de cantar, eu gaguejava pra caramba e parei porque Deus viu que cantar era o meu sonho e
me ajudou a conquistar. Tudo no tempo de dele!”

O funk consciente inspira as pessoas ao redor do Brasil não é de hoje e ele vai sempre tocar a galera que quer passar a visão da realidade em qualquer lugar. Se você se identificou com a história do MC Menor CH manda pra gente o seu corre no e-mail conteaquisuahistoria@kondzilla.com com suas fotos, telefone e redes sociais!

Tags relacionadas:

Conte aqui sua historia

Histórias que inspiram