/ Matérias

‘É o Fluxo’ leva a cultura de favela para dentro da TV

- Por Gabriela Ferreira

‘É o Fluxo’ leva a cultura de favela para dentro da TV

É a cultura de quebrada ocupando espaços! O programa “É o Fluxo” estreia na semana que vem, dia 8 de novembro, às 20h, com muito funk, vivências de favelas, muita visão e muita diversão, no Multishow. O especial é uma parceria entre o Multishow e a KondZilla e é apresentado por Fanieh e Lucas Penteado. Pega a visão:

Com a missão de retratar as quebradas de forma fiel, “É o Fluxo” chega com cenários inspirados em elementos famosos dos fluxos de São Paulo: adega, barbearia, sonzão e carrão. “Fomos pensando nesses cenários como quadros ou coisas que poderiam vir a acontecer para tudo girar em torno do fluxo”, contou Tico Fernandes, diretor artístico do programa. “O processo criativo foi incrível. Coloquei tudo do meu universo, todas as coisas que fazem parte da minha vida, dentro da TV, que não mostrava isso dessa forma”. 

Ariel Barbeiro quebrando tudo na barbearia

Além dos apresentadores Fanieh, a MC Luzi de “Sintonia”, e Lucas Penteado, que representa a quebrada em suas músicas, o “É o Fluxo” conta com vários personagens ocupando os cenários do especial, como Ariel Barbeiro e Fraan Ferreira, na barbearia; DJ Pernambuco, cuidando do som; a dupla de humor Michel e Chapola, na adega, e o Pequeno Gênio, traduzindo as gírias pra galera. “O mais importante pra mim era ter a quebrada lá dentro e não uma representação falsa do que a gente é. Dentro desse cenário, a coisa que era pra ter e a gente não conseguiu era a plateia maior. Por conta da pandemia, a gente precisou ser super limitado”, disse Tico. 

É claro que um programa desse não ia deixar o funk de lado, né? Ao longo dos sete episódios, “É o Fluxo” vai trazer Jottapê, MC Davi, MC Hariel, MC Don Juan, MC Kekel, Bianca, MC Hollywood, MC João, MC Marks, MC Menor MR, MC MM, MC Niack e Tati Zaqui.

Para o diretor, a importância de ter um programa como o “É o Fluxo” na TV é poder mostrar a cultura de quebrada de uma maneira real. “É importante porque a gente pode conhecer os talentos da mesma forma que eles se mostram nas redes sociais e nos bailes. Às vezes, essas pessoas não são elas mesmas na TV. Agora, as pessoas podem conhecê-las de uma forma real e ver a essência delas”, disse. “E pra quebrada, é importante para todos os lados, seja na dança, na barbearia, na música, nas gírias, nos nomes de quebradas que a gente colocou nas paredes. Também é importante porque é a gente chegando em lugares que diziam que a gente não ia chegar ou que outros movimentos chegaram há mais tempo e que a gente ainda não tinha abertura, e chegar de igual pra igual, com o mesmo nível de profissionalismo, de entrega e acreditando que a gente pertença a esse lugar e que a gente possa conquistar mais e mais”. 

Há dez anos trampando e vivendo de funk, para Tico, fazer parte do processo vai além de uma realização pessoal. “Luto pelo funk há dez anos, batalho por ele, me deslumbro com ele. Poder fazer algo palpável e que vai ficar marcado na história do funk, que é um programa exclusivamente sobre funk, principalmente o paulista, na TV. Chamar MCs, muitos amigos, que já tiveram até experiências ruins com TV, para um lugar onde eles podem ser eles mesmos e colocar tudo isso no horário nobre na TV é uma vitória conjunta do funk”. 

NGKs representando no passinho

“É o Fluxo” é uma criação conjunta entre KondZilla e Multishow. Tico Fernandes assina a direção artística, Tadeu Jungle assina como diretor geral e Konrad Dantas assina como produtor executivo. O programa chega ao Multishow no dia 8 de novembro, com sete episódios semanais, sempre às 20h. Fica ligado pra não perder a novidade e acabar indo pras ideias! 

Tags relacionadas:

KondZilla