Dono do hit "Desapeguei", MC Lil conta um pouco da sua trajetória no funk

Autor: Wenderson França

Fotos por: Léo Caldas // Portal KondZilla

Entrevista | 28/08/2019 17:23:25

Anexo faltante

Diretamente das quebradas de Diadema-Parque Real, hoje vamos conhecer a história do Francisco Carlos Cassiano Junior, 23 anos, conhecido como MC Lil. Ele é dono do hit “Desapeguei“, próximo a atingir a marca de 50 milhões de visualizações no Canal da KondZilla. Autêntico, o funkeiro ainda tem outros sons estourados como: “Tem Outra no Seu Lugar“, que tem mais de 13 milhões de visualizações. Proprietário, digamos, de um estilo musical totalmente a favor do desapego, ele passeia em outras vertente, como o consciente na música “Tamo no Jogo“, e no funk ousadia, em “Que Se F*da Relacionamento“, com participação Dj Gui Marques. Cola com o Portal KondZilla e conheça a fundo o  MC.

Se pensarmos no estilo do Lil, vamos falar de duas frentes: nos kits azul, branco e vermelho e nas músicas de solteiro. Mesmo assim, ele passeia em várias frentes do funk. “Eu tenho sons no pop, no consciente e na ousadia. Tenho até uns clipe de trap, mas o meu foco mesmo é fazer as pessoas não sofrerem de amor”. Solteiro por opção e determinação. “A minha vertente é mais de uma música de desapegar das mina mesmo (risos). É direto para os solteiros, essa que é a fita”.

Depois de lançar muitas músicas lights, o cantor lançou uma mais pesada porém sem perder a essência do desapego. “E a nova ‘Que se F*da Relacionamento’ eu fiz na mesma pegada, mas de uma forma mais bolada, chutando o balde”.

Se hoje ele é dono de milhões visualizações, tudo começou lá nas quebradas de Diadema. De família humilde, sem dinheiro e apenas com a vontade de ser um artista, Lil era apenas mais um neguinho de favela até chegar no seu primeiro milhão. “Minha primeira música que eu conquistei 1 milhão foi a ‘Pipa Combate‘. Eu fiz bem na época do jogo, não era nem uma música em si e sim uma paródia”.

MC Lil é mais um artista da nova geração do funk paulistano. E essa turma é realmente ligada a internet, falamos do MC Daniels, o funkeiro que queria ser youtuber, não precisa ir muito longe e podemos citar ainda Dani Russo, dona do segundo maior canal feminino no Youtube Brasil e também funkeira. Lil é mais um dos MCs que tentou a carreira digital antes da música. “Eu era youtuber e fiz um videozinho engraçado dessa música, inclusive até o MC M10 participa desse clipe, ele que era o menino viciado em pipas”. Participante da série Sintonia e amigo de longas datas de Lil, já contamos a caminhada do MC M10 até o lançamento de “Sentou e Gostou”.

Entre o primeiro milhão e entender que existia uma carreira artística como MC Lil, o garoto demorou um pouco até entender que seu sonho estava próximo de ser realizado. “Quando eu bati 1 milhão em ‘Pipa Combate’ eu não tinha noção ainda, por isso que eu não imaginava onde iria chegar”. Mal ele sabia que os primeiros shows viria. “Em seguida eu comecei a ver o retorno nos trabalhos, eu cantava as músicas e o pessoal respondia, começou vir os fãs tirar umas fotos, comecei a vender uns shows por R$300, R$400 reais”.

Lil chega então à KondZilla, o maior canal de música do YouTube, e em seu primeiro lançamento já acerta alcançando a marca de 50 milhões de visualizações em “Desapeguei”. “Foi muito gratificante, eu achava que isso nunca iria acontecer. Pensava que essas paradas só acontecia com outras pessoas e ficava só assistindo. É uma música minha sozinho, saca? Letra minha, uma brisa minha. Atingir 50 milhões de pessoas escutando de coração é incrível”. Mais do que a realização pessoal, ainda teve o reconhecimento do público. “Eu andei o Brasil todo através de ‘Desapeguei’ e vários estados que eu chego até hoje todo mundo canta”.

Você já se questionou se existe uma fórmula para o sucesso? Perguntamos isso para Lil e ele passou a visão. Acredite vai depender muito mais de você para chegar até o sucesso. “Fórmula? Acho que não, senão estava todo mundo explodido e fazendo história. O caminho não é totalmente financeiro, muitas pessoas desanimam de cantar funk porque acha que o dinheiro move o gênero, não é também desse jeito. Deus é maior do que dinheiro, funk, de tudo”.

Já dizia o ditado popular ‘a fé move montanhas’ e a persistência é a chave do sucesso. Essa deve ser a receita. “O que você precisa fazer é ter fé em Deus, trabalhar, correr atrás e não desistir. Não pode ter preguiça, se você não sabe cantar vai atrás de uma aula de música e aprende a cantar não tem essa de não sei”.

Estilo X Dinheiro

A Lupinha do Vilão, o óculos da Oakley criado por fãs prova que a quebrada tem feito sua própria moda e lançado seus kits. Podemos dizer que o estilo da favela é uma mistura de tudo um pouco, o que faz ser algo autêntico e único. O problema são as condições financeiras, só ela pode limitar a criação. Mesmo assim o tempo é rei, Lil, por exemplo, precisou esperar o seu momento para ser quem realmente ele queria ser. Acreditou e chegou.

“Na realidade eu sempre quis ter umas tranças mas eu nunca tive uma condição legal, então eu ficava pensando ‘vou fazer as tranças mas vou colocar o que pra combinar com elas?’. A carreira mudaria tudo isso, ele poderia ser o Lil das trancinhas e ousar no estilo. “Na música da OLX, eu já sabia que iria estourar tanto que no clipe aparece a minha mudança, eu sempre usei boné e no clipe aparece a minha mudança pra trança quando eu estouro. A lei da atração em cima daquele videoclipe foi muito forte. Eu sabia que iria estourar por isso que eu fiz um roteiro falando exatamente da transição da carreira.

Lil projetou a mudança e deu certo. “Quando eu vi que eu realmente eu iria estourar eu falei ‘agora eu vou ser o Lil que eu quero'”.

Se você conhecia MC Lil antes dúvido que nunca tenha se perguntado o porque o artista só vem usando a marca Fila nos últimos anos. Prepara o coração pois é algo muito mais profundo do que qualquer coisa que podemos imaginar. “Eu gosto bastante da marca e eu tinha um tio que sempre acreditou em mim, ele não se encontra mais aqui mas usava bastante Fila. Se ele estivesse hoje vendo isso com certeza iria ficar muito feliz, ainda mais de ver eu usando a marca que ele gostava. Então tem um significado e também porque as roupas são maneiras”.

Quando se vem de favela ser persistente não é uma opção é uma obrigação. Lil depois de madrugar noites em Lan House para estourar suas músicas, receber muitos ‘’nãos” e até pensar que não poderia ser quem ele realmente quis ser durante toda sua vida, foi atrás do sonho. “Os trabalhos que venho fazendo hoje é os trabalhos do MC Lil de verdade. O que eu quero ser. Hoje eu uso o cabelo que eu quiser, a roupa que eu quero, o relógio que eu gosto, uso o que eu quero usar e fico muito feliz de poder vestir o que eu gosto”.

Sonhador, Lil contou sobre seu futuro no funk e aguarde pois vem muita pedrada pela frente. O artista está preparando um EP que terá 5 faixas e duas músicas com participação. Para o artista essa conquista é o caminho para a realização de mais um dos seus sonhos, quem sabe a gravação de um DVD.

Acompanhe MC Lil nas redes sociais: Instagram // Facebook

Leia também:

Dicas de como virar MC
A boa fase do Funk Consciente

Assista também:

O quê você
procura?