“Como o funk mudou minha vida”, pelo compositor 2N
Créditos: Acervo Pessoal 2N
- Por Redação

“Como o funk mudou minha vida”, pelo compositor 2N

Dia 7 de julho é o Dia do Funk no estado de São Paulo. Desde 2016, é um dia para lembrar daqueles que partiram e também para reforçar a importância do funk como cultura e transformador de vidas. Convidamos o compositor Anderson Lourenço, 33, conhecido como 2N, para falar como o funk pode mudar as vidas. Anderson Lourenço a música Desfibrilador que mostra muito da sua história e das perspectivas que o funk pode trazer para alguém. Confira:

Mesmo desacreditado por muitos eu decidi que ia viver do funk. Após uns dois anos de muita persistência e portas na cara eu finalmente consegui vender o direito de interpretar uma música minha para o MC Boy do charmes em 2014 (é charme e chave).

Com isso as portas começaram a se abrir e de lá pra cá não parei mais. Juntei o dinheiro que ganhava da música e do meu emprego (de ajudante geral) e montei um barraco feito de madeira em cima da maré.

Nessa época eu só tinha uma filha ainda pequena e eu lembro que no inverno, o frio foi muito rígido e ela pegou uma pneumonia e ficou muito mal. Então tornei toda aquela peleja em músicas, inclusive uma delas é “Preta” que o MC Neguinho do Kaxeta canta.

Hoje tenho uma vida melhor consegui sair da favela, tenho um carro bacana, minhas filhas estudam em colégio particular. Desfibrilador é uma das músicas que retrata um pouco da minha história e do quão difícil é viver do funk.

Nosso som é desfibrilador
Visão passada nós é cria não criado morô ?
Meus versos são descarga elétrica emitindo amor
Reanimando os corações do nosso povo sofredor

Cada goma de madeira uma história
Cada história uma superação
Nas palafitas da vida eu dei glória e agora vivo de canção
Esferográfica corre o papel
Minhas meninas dependem da rima
Inspiração vem sempre lá do céu pois é Deus quem me ilumina
Já pensou se eu tivesse que viver somente do estudo eu tava perdido
Ainda bem quem me guia não dorme emprestou esse dom de versar e rimar
De uma anos pra cá muito cartão bati já sofri mas não virei bandido
Uso isso como referência pra molecadinha conscientizar

Nosso som é desfibrilador
Visão passada nós é cria não criado morô ?
Meus versos são descarga elétrica emitindo amor
Reanimando os corações do nosso povo sofredor

Cartão postal aqui não há aliás deixa eu te mostrar
Prego martelo viga e madeirite moradas em frente a maré
É desumano desconfortável seja bem-vindo ao meu lar
Sem lero lero faço convite para tu saber como é
Aqui os menor vira homem mais cedo a fome instiga a lutar
Pais desempregados procuram emprego mas poucos irão encontrar
A chuva só molha quem cai para arena ninguém é digno de pena
Marginalizados por ser favelados então que se dane o sistema

Leia também

Dia 07 de julho é o Dia do Funk em São Paulo
Entenda mais da profissão de compositor, com a história do 2N

Tags relacionadas:

Matérias

Funk